Voluntárias, mãe e filha celebram experiência única no Castelão

21/06/2014 - 17:11
Centenas de voluntários atuaram neste sábado (21.06) em vários pontos de Fortaleza para ajudar os torcedores no deslocamento ao Castelão e à Fan Fest

Fotos: Thiago Cafardo/ Portal da Copa#Scheylla e Bianca, no alto à esquerda; Luiza cumprimenta turista no canto superior direito; Paulo em ação, embaixo à esquerda; Adriana trabalhando, no canto inferior direito

A psicóloga Scheylla Riedmiller decidiu ser voluntária para ter a experiência de vivenciar um grande evento como a Copa do Mundo. A possibilidade de participar da festa atraiu também a filha, Bianca, de 18 anos. Neste sábado (21.06), elas estavam no portão sul da Arena Castelão, em Fortaleza, para orientar os torcedores que chegavam ao estádio para acompanhar a partida entre Alemanha e Gana, pela segunda rodada do grupo G da Copa do Mundo. “Estou adorando esse clima. É bom poder ajudar e fazer parte do evento”, contou Bianca. “É uma grande festa. Como ela estaria comigo, achei que não tivesse problema. E está bem tranquilo mesmo”, afirmou Scheylla, que também é estudante de Teatro da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Mãe e filha estão entre as cerca de 300 pessoas de Fortaleza que participaram do programa Brasil Voluntário, do Ministério do Esporte, para atuar na cidade durante a Copa do Mundo. “Está sendo uma experiência única. Já vou procurar saber como faço para me inscrever para as olimpíadas do Rio de Janeiro”, afirmou a voluntária Vera Lúcia Silva, estudante de Turismo. Neste sábado, a missão dela era orientar os torcedores que chegavam à Arena Castelão pela avenida Alberto Craveiro, uma das vias mais importantes de acesso ao estádio.

Vera estava acompanhada da também estudante de Turismo, Luiza Oliveira Brito. “Estou adorando ser voluntária. É uma grande experiência que vou levar para toda minha vida e ainda vai agregar no meu currículo”, afirmou Luiza, que arriscou informações em inglês para os alemães que chegavam à arena. “Gostou do meu inglês?”, brincou a voluntária.

Na entrada dos portões sul e norte da Arena Castelão, outros inscritos no programa Brasil Voluntário auxiliavam desde o início da tarde os torcedores que chegavam ao estádio. “Essa experiência de conhecer novas pessoas, de ver outras culturas, contagia demais a gente. No ano passado eu participei dos protestos. Neste, quis ver o outro lado, aqui dentro. Está sendo realmente bem legal”, afirmou Paulo Eduardo Gomes.

Voluntário em outros programas sociais, Cícero Carlos Silva também informava os brasileiros, alemães e ganeses que chegavam pelo portão sul do estádio, acompanhado da voluntária Adriana Silva. “É importante ter alguém nesses eventos para ajudar o pessoal”, afirmou ele. “Sempre tive a curiosidade de trabalhar em um evento deste tamanho. Está sendo muito bacana”, citou Adriana.

Pontos de apoio

Além da Arena Castelão, os voluntários de Fortaleza estão espalhados em vários pontos da cidade, como nos sete bolsões de estacionamento (shoppings Parangaba, Lagoa, Iguatemi e Via Sul, Campus do Pici da UFC, Cambeba e Unifor) de onde saem os ônibus grátis para o estádio.  A capital cearense conta ainda com voluntários na região da Fan Fest, no aterro da Praia de Iracema, e no Centro Aberto de Mídia (CAM), localizado no Centro de Eventos do Ceará, no bairro Edson Queiroz.

Thiago Cafardo, do Portal da Copa em Fortaleza
 

Notícias Relacionadas

Na arena Castelão, foram 49,4 toneladas, enquanto na Fan Fest foram outras 41,4 toneladas. Atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições
+
Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+