Turismo injetou R$ 145,9 milhões na economia cearense durante a Copa das Confederações

19/12/2013 - 17:53
Estudo feito pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará também apontou aumento de 183,39% na geração de empregos formais

Os turistas que compraram ingressos para os jogos da Copa das Confederações no Ceará, realizada no último mês de junho, injetaram nada menos que R$ 101,5 milhões diretamente na economia cearense apenas nos 15 dias de realização da competição. Cada real gasto no estado gerou um retorno adicional superior a 45% depois de circular pelos vários setores da economia, aumentando o ganho em R$ 145,9 milhões, valor adicionado ao Produto Interno Bruto (PIB) cearense. A projeção total das riquezas é ainda maior, R$ 234,4 milhões, levando-se em consideração o que é absorvido pelos outros estados do país.

Os dados estão no IPECE/Informe “Impactos da Copa das Confederações na Economia Cearense – Uma Avaliação a Partir do Fluxo Turístico” -, elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE), em parceria com a Secretaria Especial da Copa (Secopa) e Secretaria de Turismo do Estado do Ceará (Setur). O trabalho foi divulgado na manhã desta quinta-feira (19.12).

Outro fator positivo da Copa das Confederações no Ceará foi a geração de empregos formais, que cresceu, em junho deste ano, 183,39%, atingindo 11.126 postos contra os 3.926 registrados em igual mês de 2012, resultado maior entre os estados do Norte e Nordeste. O setor de serviços apresentou o maior crescimento no número de empregos formais em junho passado: 6.229 postos contra 2.953 em 2012, seguido pela indústria de transformação, com 2.273; agropecuária, com 1.189, e comércio, com 664, dentre outros. O trabalho completo pode ser acessado na página www.ipece.ce.gov.br.

Para os jogos da Copa das Confederações no Ceará foram vendidos, para turistas brasileiros,  um total de 51.797 ingressos e, para estrangeiros, 7.255, perfazendo 59.052. Cada turista permaneceu, em média, 4,5 dias no Ceará e gastou R$ 1.718,32 (per capita). Os gastos dos turistas foram divididos em: compras (33,1%), alimentação (20,1%), hospedagem (18,7%), diversão e passeios (17,7%) e transporte (10,4%).

O levantamento considerou apenas os turistas com ingressos, não contabilizando os acompanhantes ou mesmo os que vieram para trabalhar no evento; também não foram considerados outros benefícios do Mundial, como valorização de imóveis, abertura de novos negócios e promoção das belezas naturais, gastronomia, cultura e hospitalidade do povo cearense.

Fonte: Ipece

Notícias Relacionadas

Na arena Castelão, foram 49,4 toneladas, enquanto na Fan Fest foram outras 41,4 toneladas. Atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições
+
Espaços oferecem entretenimento, local para descanso, informações turísticas, internet wifi e outras comodidades para os viajantes. No Santos Dumont, 26,8 mil pessoas aproveitaram a estrutura oferecida
+
Nas duas sedes, os voluntários do governo federal atuaram durante a fase de grupos, oitavas de final e quartas de final. Agora, atuação será focada na FIFA Fan Fest em dias de jogos
+
Cerca de 260 mil turistas brasileiros e estrangeiros compraram ingressos para os seis jogos na capital cearense
+