Torcida organizada do Bahia que atirou objetos no campo durante o BA-VI é punida

02/05/2013 - 10:28
Bamor ficou proibida de participar das semifinais do campeonato baiano e deverá doar meia tonelada de alimentos não perecíveis

A torcida organizada Bamor foi punida por atirar objetos no campo durante a partida entre Bahia e Vitória no último domingo (28.04). Ela ficou proibida de participa dos dois jogos da semifinal do campeonato baiano entre Bahia e Juazeiro. O primeiro foi realizado nesta quarta (01.05), com vitória do Bahia por 2 x 0, e a segunda partida será no sábado (04.05).

Além disso, a Bamor doará meia tonelada de alimentos não perecíveis para uma instituição de caridade a ser definida, conforme orientação da Polícia Militar. As imagens registradas pelas câmeras de segurança da arena permitem identificar os responsáveis e caberá à Polícia Militar, Ministério Público e demais órgãos competentes tomarem as medidas cabíveis de punição.A decisão foi tomada na última terça-feira (03.04) em reunião com representantes da Arena Fonte Nova, Ministério Público, BEPE (Batalhão Especializado de Policiamento em Eventos) e Bamor.

Caxirolas em campo

No início do BA-VI, foram distribuídas caxirolas ao público. O instrumento é inspirado no caxixi e foi idealizado por Carlinhos Brown, que ensinou ao público como usá-lo antes da partida. Durante ao jogo, pouco depois de o Vitória marcar o segundo gol, aos 32 minutos do primeiro tempo, torcedores do Bahia sentados nas arquibancadas mais próximas do campo arremessaram dezenas de caxirolas no gramado. Os próprios jogadores retiraram a maior parte dos instrumentos, para que o jogo tivesse continuidade. A caxirola foi um dos 96 projetos selecionados na chamada pública do Plano de Promoção do Brasil para a Copa e também foi licenciado pela FIFA.

Ao final do jogo, o CEO do Comitê Organizador Local da Copa, Ricardo Trade, comentou o incidente. "Costumo dizer: tem que acontecer incidente para que a gente possa tomar providências. A caxirola é licenciada pela FIFA e a situação tem que ser levada às autoridades de segurança para ver o procedimento a ser tomado. Com certeza, pela própria qualidade das câmeras, dá para identificar quem está jogando e quem não está. Tem também a questão da cultura. É preciso reeducar o público. Estamos agora mais perto do campo, qualquer coisa que jogar pode até ferir alguém”, disse.

O jogo foi evento-teste oficial da Arena Fonte Nova e foi bem avaliado pelo COL.

Portal da Copa, com informações da Arena Fonte Nova

 

Notícias Relacionadas

Estádios da Copa 2014 são pioneiros na busca de certificação ambiental internacional
+
Reserva holandês, Krul, pegou duas cobranças. Agora os atuais vice-campeões têm pela frente a Argentina de Messi
+
Marcelo Balboa jogou os Mundiais de 1990, 1994 e 1998 e elogiou a experiência no país até agora
+
Experiência positiva no Mundial deve atrair mais visitantes no futuro
+