Tire suas dúvidas sobre os investimentos do país para a Copa

11/04/2014 - 12:08
Série de perguntas e respostas esclarece de que forma o país se preparou para receber o Mundial de 2014

Por que fazer grandes eventos?
Os grandes eventos aumentam a visibilidade do país e trazem mais turistas estrangeiros. É uma oportunidade para incrementar a infraestrutura, antecipando obras e intervenções que eram necessárias mesmo sem a realização do evento. É o caso do investimento em mobilidade urbana e das obras nos aeroportos e portos.

Por que 12 sedes?
As 12 sedes são capazes de demonstrar a riqueza cultural e natural do país, além de democratizar os ganhos em infraestrutura, com os investimentos, e econômicos, com a distribuição dos turistas por todo o país.

Quanto o Brasil está investindo?
O plano de investimentos nas cidades-sede da Copa totaliza R$ 25,6 bilhões.

Em que o Brasil está investindo?
Mobilidade Urbana, Aeroportos, e financiamento para a modernização de estádios no primeiro ciclo de investimentos. Segurança, Telecomunicações e Turismo nos 2º e 3º ciclos. Além de políticas públicas potencializadas pela Copa, de Energia, Qualificação pelo Pronatec e Hotelaria.

Quem pagou pelos estádios?
Os estádios foram pagos com financiamento federal pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), recursos locais e privados. O valor total investido é de R$ 8 bilhões.

Qual a diferença entre financiamento e repasse?
Repasse significa verba a fundo perdido do Orçamento Geral da União (OGU). Ou seja, o dinheiro não volta. Já o financiamento funciona como um empréstimo, cedido pelo BNDES. O valor financiado será pago de volta aos cofres do banco.

Mas espera aí, isso está tirando dinheiro de outras áreas?
Não. A Copa não retirou verbas do orçamento de áreas como a saúde, educação, transportes e segurança pública. A verba para saúde e educação aumenta a cada ano. Por exemplo, o orçamento do Ministério da Educação subiu de R$ 86,2 bilhões em 2013 para R$ 89,1 bilhões em 2014. O orçamento da Saúde para o ano de 2014 será de R$ 106 bilhões, um aumento de 31% em relação a 2011.

Como os novos estádios podem ajudar o futebol brasileiro?
O torcedor encontra nas 12 novas arenas mais qualidade, conforto e segurança para assistir aos jogos do futebol brasileiro. Isso estimula a presença mais forte do público, beneficiando também os clubes. Somente as seis arenas inauguradas para a Copa das Confederações, por exemplo, levaram o campeonato brasileiro a bater recorde de bilheteria, com os novos estádios sendo responsáveis pela maior parte da arrecadação.

Quais os benefícios em mobilidade?
São 45 obras de mobilidade urbana que priorizam o transporte coletivo. Projetos que incluem corredores e vias para ônibus; estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego; BRTs (Bus Rapid Transit); VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos). O governo investiu mais de R$ 8 bilhões nessas obras.

Quais os benefícios em portos?
Os investimentos associados aos portos chegam a R$ 587 milhões, para melhoria nos terminais em Fortaleza, Natal, Manaus, Recife e Salvador, e para alinhamento do cais em Santos (SP).

Quais os benefícios em aeroportos?
O projeto para a Copa inclui concessões de seis aeroportos: Brasília (DF), Campinas (SP), Guarulhos (SP), São Gonçalo do Amarante (RN), Galeão (RJ) e Confins (MG). Além disso, investimentos de R$ 6,28 bi para melhoria da infraestrutura aeroportuária em terminais de passageiros, pistas e pátios, e adequações operacionais. Os 21 empreendimentos de reforma e construção de terminais de passageiros aumentarão em 81% a capacidade de recepção de passageiros nos aeroportos da Copa.

E o preço das passagens? Não vai ficar muito caro durante a Copa? E os hotéis?
O governo criou um comitê interministerial para discutir e fiscalizar preços, tarifas e a qualidade dos serviços durante a Copa. Em caso de preços abusivos, os órgãos de defesa do consumidor podem agir. Sobre os hotéis, o Ministério do Turismo criou um site (http://hospitalidade.turismo.gov.br/busca.html ) para divulgar opções de hospegadens alternativas. Quanto às passagens, a Anac aumentou a malha aérea para estimular a diminuição dos preços.

Mas há voos suficientes? Tantos passageiros não vão criar um caos aéreo?
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou um aumento de 1.973 novos voos entre 6 de junho e 20 de julho, com objetivo de reforçar a malha aérea e diminuir os preços das passagens durante a Copa do Mundo.

Quais os benefícios em telecomunicações?
O serviço em telecomunicações foi modernizado em todo o país, com investimentos de R$ 233 milhões da Telebras, para expandir a rede de fibra óptica da estatal, e R$ 171 milhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), para modernizar os procedimentos e a fiscalização. As 12 cidades-sede passaram a contar com tecnologia móvel 4G, até 10 vezes mais rápido que o atual.

Quais os benefícios em segurança?
Com R$ 1,9 bilhão, o governo investiu no controle de pontos de entrada no país, na integração de instituições e sistemas, além de ações de contingência e de defesa para o Mundial e para o território nacional. A modernização da infraestrutura de segurança ficará como legado para o Brasil depois da Copa. Alguns dos exemplos desse legado são os 14 Centros Integrados de Comando e Controle (dois nacionais e 12 regionais).

Por que estimular o voluntariado?
Para garantir que tudo funcione bem e que o foco permaneça na competição, é essencial a atuação dos inscritos no Brasil Voluntário, programa de voluntariado do Governo Federal. São eles os responsáveis por fazer todo o sistema de suporte a torcedores, turistas, moradores e visitantes funcionar.

Vai ser bom para o turismo?
Sim. Só na Copa das Confederações, com quatro vezes menos jogos e países classificados, o setor foi beneficiado com a movimentação de R$ 740 milhões. Além disso, foram investidos R$ 196 milhões na infraestrutura turística e na qualificação pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec Turismo).

A Copa gera emprego?
Levando em conta todas as áreas, 710 mil empregos permanentes e temporários serão criados.

E o que o Mundial ajuda na economia?
Um estudo desenvolvido pela assessoria técnica da presidência da Embratur mostra que o valor gasto por turistas brasileiros e estrangeiros durante os 30 dias de jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014 deve chegar a R$ 25,2 bilhões. A previsão é de que o Mundial deverá agregar, até 2019, R$ 183,2 bilhões ao Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, o que representa um aumento de 0,4% ao ano. De acordo com outra pesquisa, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e Ministério do Turismo, a Copa das Confederações gerou um movimento de R$ 20,7 bilhões, sendo R$ 11 bilhões referentes a gastos de turistas, do Comitê Organizador Local (COL) e de investimentos privados e públicos e outros R$ 9,7 bilhões como renda acrescentada ao PIB brasileiro. A expectativa é de que a Copa do Mundo gere três vezes este valor, podendo chegar a R$ 30 bilhões.

Existem famílias sendo desabrigadas por conta das obras da Copa?
Nenhuma pessoa ficou desabrigada para a construção de estádios ou para as intervenções de mobilidade urbana. As remoções ficam a cargo das prefeituras e/ou governos estaduais, buscando compensar e apoiar os atingidos.  Veja o exemplo da Via Mangue, no Recife, onde as pessoas saíram de palafitas para casas com toda infraestrutura:

Como posso acompanhar tudo que é investido em Copa?
Acesse o site www.copa2014.gov.br e saiba mais informações sobre os investimentos e as notícias relacionadas à Copa do Mundo no Brasil.

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+
Produções retratam a festa dos torcedores e a organização do megaevento esportivo
+