Técnico espanhol destaca conjunto, mas reconhece queda de produção no final do jogo

16/06/2013 - 22:48
Vicente del Bosque disse que já previa o Uruguai retrancado, justamente pelo estilo de toque de bola da Espanha. Eleito melhor em campo, Iniesta elogiou a atuação da equipe e a cidade do Recife

O placar final de 2 x 1 e o sufoco que o Uruguai imprimiu à Espanha no final do jogo não refletiram a partida disputada neste domingo (16.06) na Arena Pernambuco, na região metropolitana de Recife. Essa foi a opinião dos que assistiram à partida e que foi referendada por quem estava a um metro do gramado. “Foi uma boa partida, disputada em condições que exigiram muito dos jogadores. Dominamos o jogo, mas sofremos em alguns momentos, principalmente quando levamos o gol. Houve uma acomodação no final, justamente por termos feito 2 x 0 e estarmos com a posse da bola”, afirmou o técnico da Seleção Espanhola, Vicente del Bosque, durante entrevista coletiva.

“Foi importante porque construímos uma imagem do que poderia ser a partida. Já sabíamos que iriamos tomar a iniciativa. No primeiro tempo, conseguimos anular os contra-ataques do Uruguai”, acrescentou Del Bosque. “Isso é o futebol. Demos poucas opções para eles, fizemos boas jogadas e poderíamos ter feito mais ainda. Só que um gol quase arruinou tudo”.

Reação da torcida

Quando perguntado sobre o apoio inicial da torcida de Pernambuco ao Uruguai e sobre as vaias que a Espanha levou durante boa parte do tempo, o treinador esquivou-se. “As vaias do público têm a ver com nosso estilo de jogo. Buscamos sempre controlar a bola, mesmo que tocando muito tempo no meio de campo. Mas não podemos fazer isso sempre, pois gera ansiedade. No decorrer do primeiro tempo, conseguimos equilibrar o toque de bola com o avanço ao ataque”, disse.

Del Bosque também respondeu sobre o clima úmido e o estádio. “Não podemos reclamar das condições. O desgate no final pode ter sido decorrente da umidade, mas também houve uma acomodação por estarmos com 2 x 0 no placar e com o domínio da partida”.

Destaque

O treinador falou ainda da força do conjunto espanhol e elogiou individualmente a atuação do atacante Roberto Soldado. “Ele está pouco acostumado a atuar dessa maneira, como centroavante. Mas desempenhou o papel muito bem e, no final do jogo, foi muito importante para mantermos o resultado”, finalizou o treinador espanhol.

Outras formações

“Se optei pelo [goleiro] Casillas no jogo de hoje, foi uma decisão minha. Se os outros dois goleiros [Victor Valdés e Pepe Reina] jogassem, alcançaríamos o mesmo resultado. Todos os 23 jogadores são titulares em seus times e não gostam de ficar no banco. Tenho certeza que todos terão oportunidades durante o torneio”, adiantou Del Bosque, deixando clara a perspectiva de levar a campo um time diferente na partida contra o Taiti, no dia 20 de junho, no Rio de Janeiro.

Melhor em campo

Melhor jogador em campo eleito pela organização, o meio-campista Andrés Iniesta fez um análise realista da partida. “Os rivais estão respeitando a Espanha e nós gostamos de ficar com a posse da bola, por isso o Uruguai veio tão fechado. Isso não seria diferente e não será diferente nos dois próximos jogos. Sempre tentarão fechar os espaços. Mas o primordial foi que a Espanha jogou uma excelente partida”, afirmou Iniesta.

Quando questionado sobre a fragilidade do Taiti, próximo adversário da Espanha, Iniesta falou que o importante é pensar jogo a jogo. “Sabemos que o adversário sempre se desdobra diante da Espanha. Temos que jogar uma partida por vez – e sempre melhorar, independente de quem esteja do outro lado”, completou.

Elogios à cidade

“Recife foi muito agradável para nós. É sempre bom viajar para outro país, ter contato com as pessoas e sentir o carinho. Para nós, estar no Brasil é um privilégio. Espero que nossa estadia aqui continue assim. Estou feliz de estar aqui e em viajar para as próximas cidades”, disse o jogador.

Leia também:

» Espanha vence o Uruguai por 2 x 1 e lidera o grupo B da Copa das Confederações

» Oscar Tabárez reconhece superioridade da Espanha e valoriza equilíbrio no fim da partida

Abelardo Mendes Jr – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estádios da Copa 2014 são pioneiros na busca de certificação ambiental internacional
+
Capital pernambucana foi considerada boa ou ótima por 82,3% dos visitantes que estiveram na cidade durante o período de jogos da Copa do Mundo
+
A cidade, que recebeu cinco partidas do Mundial, fez balanço das operações e do legado do torneio
+
Partida na Arena Pernambuco, que terminou empatada em 1 x 1 no tempo regulamentar, teve gol grego nos acréscimos, expulsão de costarriquenho e emoção até o final
+