Técnico do Irã diz não estar preocupado com segurança, clima e distância na Copa do Mundo

20/02/2014 - 10:02
A programação da equipe asiática prevê a chegada ao Brasil em 3 de junho, após a disputa de três amistosos preparatórios contra Bielorrússia, Montenegro e Angola

O técnico do Irã, o português Carlos Queiroz, que está no Seminário de Seleções da FIFA, em Florianópolis, disse não estar preocupado com questões como segurança, clima e distâncias que terá que percorrer durante a Copa do Mundo. “Não preocupa em nada, zero. Isso é coisa da imprensa em todo o mundo, faz parte do pacote da festa”.

Gabriel Fialho/ Portal da Copa#Técnico do Irã atende aos fãs no Costão do SantinhoPara Carlos Queiroz, o ritmo dos campeonatos europeus é o principal motivo para o desgaste dos jogadores. “Calor não é problema. O problema é o desgaste dos jogadores que estão na Europa, com campeonatos intensos como na Inglaterra, França, Alemanha, Itália e Espanha. Esse é o maior problema, mas as coisas mudaram um pouco, porque muitos jogadores sul americanos estão na Europa, então, as coisas estão mais equilibradas. Além disso, as técnicas de preparação estão mais evoluídas e é possível antecipar determinados problemas”, analisou.

A programação da equipe asiática prevê a chegada ao Brasil em 3 de junho, após a disputa de três amistosos preparatórios contra Bielorrússia, Montenegro e Angola. Em solo brasileiro, os iranianos farão um jogo treino contra Trinidad e Tobago.

Os iranianos treinarão no CT Joaquim Grava, do Corinthians, situado em Guarulhos. Mesmo com a invasão de uma torcida organizada da equipe paulista ao local, neste mês, Carlos Queiroz tratou de minimizar o episódio.

“Não estamos preocupados com nada disso, são daqueles pequenos incidentes do futebol que têm que ser tratados, mas logo serem esquecidos. Aliás, o local é fantástico e quero aproveitar a oportunidade, em nome do Irã, para agradecer a todos os dirigentes do Corinthians pela forma carinhosa e profissional que nos têm tratado”, elogiou.

Ambições

O título mundial não está entre as pretensões iranianas, mas a oportunidade de jogar contra grandes seleções e de participar da Copa já representa a conquista de uma taça. Carlos Queiroz revela que o projeto do país é se preparar bem para buscar o título da Copa da Ásia, que será disputada no fim deste ano.

“O Irã atravessou o inferno na qualificação, agora é o céu. A nossa expectativa é trabalharmos muito para competir com os melhores do mundo e aprender com eles. Agora, estamos satisfeitos em ter essa oportunidade. Claro que viremos para cá com uma missão e um sonho e vamos trabalhar muito para procurar uma chance de irmos adiante, mas o mais importante é sairmos com dignidade, trazendo alegrias para os torcedores iranianos. O projeto do Irã é sair daqui bem preparado para, na Copa da Ásia, disputarmos o primeiro lugar”.

Esta será a quarta participação do país em uma Copa. Nas três oportunidades anteriores, em 1978, 1998 e 2006, os iranianos deram adeus logo na etapa inicial do torneio.

Favoritos

Entre os semifinalistas de uma Copa do Mundo há sempre três seleções mais tradicionais e uma que corre por fora, segundo Carlos Queiroz, que não esconde a torcida para que essa última equipe seja Portugal. “Eu penso que entre os quatro finalistas estarão sempre três dinossauros do futebol: Brasil, Alemanha, Argentina, França, Itália, Espanha. Depois temos uma equipe que corre por fora, que espero que seja Portugal, mas pode ser a Holanda, o Uruguai... o Uruguai vocês não querem, porque foi uma dor de cabeça”, brincou.

Ele aponta que o Brasil leva vantagem por ter o apoio da torcida e lembrou que nenhuma seleção europeia ganhou o torneio fora da Europa. O treinador do Irã ainda elogiou Neymar e aposta que o brasileiro será um dos melhores jogadores do planeta em breve. “Fantástico. Está a me surpreender a velocidade de adaptação dele ao futebol europeu, isso só demonstra que é um grande talento. E vai ser muito rapidamente um dos príncipes do futebol mundial”.

» Saiba mais sobre o Grupo F da Copa

Jogos na Copa

O Irã foi sorteado no Grupo F, ao lado de Argentina, Nigéria e Bósnia Herzegovina. A estreia será contra os nigerianos, na Arena da Baixada, em Curitiba, no dia 16 de junho. Depois, os iranianos seguem para Belo Horizonte. Vão enfrentar a Argentina, no Mineirão, no dia 21 de junho. Para terminar a participação na fase de grupos do Mundial, a seleção asiática terá pela frente a estreante Bósnia-Herzegovina. O duelo será na Fonte Nova, em Salvador, no dia 25 de junho.

Gabriel Fialho – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+