Suíça encerra passagem pela Bahia e segue para duelo decisivo contra argentinos

30/06/2014 - 12:31
Antes de embarcar, delegação exibiu uma faixa de agradecimento a Porto Seguro. Se seguirem na competição, europeus vão passar a se hospedar em Brasília

A Suíça se despediu da Bahia neste domingo (29.06), depois de passar 23 dias em Porto Seguro, cidade escolhida para ser a casa dos jogadores durante o Mundial. A seleção deixou a região da Costa do Descobrimento, no extremo sul do estado, e seguiu no fim da tarde para São Paulo, onde enfrentará a Argentina na próxima terça-feira (01.07), na Arena Corinthians.

Antes de embarque, a delegação exibiu na pista do aeroporto uma faixa com a frase “Obrigado, Porto Seguro” em agradecimento pela acolhida. O gesto também foi uma maneira de retribuir a declaração do secretário estadual da Copa, Ney Campello, em coletiva realizada no sábado (28.06), na qual enalteceu a passagem dos jogadores pela Bahia. “Nós queremos que a Suíça avance no Mundial e volte para celebrar aqui os seus resultados”, destacou. 

Foto: ASF/Federação Suíça de Futebol#Suíços agradecem a acolhida baiana

Para o secretário-geral da Federação Suíça de Futebol, Alex Miescher, a hospedagem na região, iniciada no dia 7 de junho, foi a melhor escolha que a delegação poderia ter feito. “Por favor, não se tornem europeus, porque nós suíços amamos vocês por não serem europeus, mas sim alegres e hospitaleiros”, elogiou.

A Suíça enfrenta a Argentina nesta terça-feira (01.07), na Arena Cortinhians, em partida válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Caso avancem para as quartas-de-final, os suíços passarão a se hospedar em Brasília, que será o palco do próximo jogo. Se forem eliminados, retornam ao país na quarta-feira (2.07).Foto: Mellyna Reis/Portal da Copa#Suíços realizam último treino antes de viajar para São Paulo

Treinamento

O último treino em solo baiano, realizado no Estádio Municipal de Porto Seguro, foi a portas fechadas. A imprensa teve acesso apenas a 15 minutos, período de aquecimento dos jogadores. Já no treinamento do sábado (28.06), o grupo focou nas atividades técnicas, passes, finalizações e cobranças de pênaltis. O meio-campista Xherdan Shaqiri, autor dos três gols contra Honduras, ainda pela fase de grupos do Mundial, se destacou com bons chutes no recreativo.

Sobre o duelo contra os argentinos, o meia-amardor Valon Behrami afirmou que será uma grande partida. “É uma partida muito importante. É um jogo contra uma grande equipe”, ressaltou. Questionado sobre um possível apoio dos brasileiros, que costumam torcer contra os vizinhos hermanos, o jogador fez pouco caso. “Essa rivalidade com a Argentina pertence ao Brasil”, disse.

Cortado

Depois de sofrer uma lesão no joelho, o atacante reserva Mario Gavranovic está fora do Mundial. O corte foi confirmado pela Associação Suíça de Futebol com base no diagnóstico dos médicos que acompanham a seleção, Roland Grossen e Cuno Wetzel. O jogador, que torceu o joelho direito depois de pisar em falso no gramado durante o treino, volta ao país nesta segunda-feira (01.07).

Legado

A reforma no Estádio Municipal de Porto Seguro é um dos legados que fica da Copa do Mundo para a população da cidade. Foram investidos R$ 4,2 milhões para que o local tivesse condições de ser o Centro de Treinamento da Seleção (CTS) da Suíça. Inaugurado no início do mês, o estádio agora conta com gramado de padrão internacional, arquibancada requalificada, novos vestiários, banheiras de hidromassagem e estacionamento. O campo foi bastante elogiado pelos jogadores e pela imprensa nacional e internacional. Segundo os dirigentes, o gramado é melhor que o de Weggis, cidade suíça onde a seleção iniciou a pré-temporada.

Mellyna Reis, do Portal da Copa em Porto Seguro (BA)

Notícias Relacionadas

Cidade hospedou campeões mundiais durante a Copa do Mundo e recebeu legados como Centro de Treinamento e promoção da imagem local
+
Portões da estrutura abrem às 13h no sábado (12.07) e no domingo (13.07)
+
O turismo de natureza está entre os segmentos que mais cresce no mundo, com índices de 10% a 15% ao ano
+
Mais de 2 mil pessoas foram entrevistadas, sendo 33% estrangeiros
+