Seleção da Costa Rica se diverte em visita a escola de Santos

16/06/2014 - 19:14
Crianças entre 7 e 10 anos pediram autógrafos, fizeram apresentações e receberam camisas oficiais de presente

Adalberto Leister Filho/ Portal da Copa# Jorge Luis Pinto, técnico do time, sugeriu visita: “A gente não pode perder o sentimento de solidariedade”

A seleção da Costa Rica visitou na tarde de segunda-feira a Unidade Municipal de Educação Padre Lucio Floro, no Morro José Menino, em Santos, uma das áreas mais carentes da cidade. A presença inusitada de um elenco que disputa a Copa do Mundo levou a criançada ao delírio.

Os alunos, entre 7 e 10 anos, aproveitaram a visita dos atletas para tirar fotos e pedir autógrafo. Tudo era usado para tal fim, desde cadernos e bloquinhos até o álbum de figurinhas da Copa. Muitos deram autógrafo no espaço em branco de suas figurinhas, que ainda não haviam sido tiradas.

A delegação chegou em duas vans, na apertada rua na entrada do morro. A visita teve forte aparato de segurança conduzido pela Polícia Federal, que fez um cordão de isolamento na entrada do colégio. Alguns jogadores pareciam nitidamente deslumbrados com toda a confusão armada pela criançada. Um dos mais animados era o atacante Joel Campbell, 21, autor do gol de empate na partida contra o Uruguai, na estreia da equipe na Copa.

Em um canto, o técnico Jorge Luis Pinto parecia esquecido por todos. “Eu que sugeri vir aqui”, dizia o treinador, enquanto seus atletas eram bastante assediados. “A gente não pode perder o sentimento de solidariedade”, acrescentou o colombiano.

Os jogadores aproveitaram a visita para tirar fotos e filmar a molecada, que saudou os atletas aos gritos: “Costa Rica! Costa Rica!” A maioria, porém, não tinha muita ideia de quem era quem. Algumas crianças pediam autógrafo até a membros da comissão técnica achando se tratar de algum atleta. Outro grupo, sentado próximo ao elenco costa-riquenho, tentava identificar o grupo a partir das fotos do álbum.

O evento teve troca de presentes entre jogadores e crianças. Vinte e três delas foram selecionadas para receber uma camisa da Costa Rica. Mas o momento mais animado foi durante a apresentação de samba, com direito a bateria de escola de samba. Os atletas subiram nas cadeiras para poder fotografar e filmar melhor a dança. Animados, alguns arriscaram sambar com a passista Mariana Barros, 14, escalada para a apresentação.

“Aprovei. Eles têm samba no pé”, elogiou a adolescente, que integra a escola de samba União Imperial, de Santos. “Adorei ter conhecido eles. Foi marcante para mim. Espero que tenha sido para eles também.”

Adalberto Leister Filho, do Portal da Copa em Santos (SP)

Notícias Relacionadas

Antes do sufoco da classificação diante da Costa Rica, na última partida da Fonte Nova no Mundial, torcedores promoveram a segunda Orange Square
+
Tradição é a marca das quatro seleções que disputam a taça. Estádios continuam lotados, mas média de gols do torneio cai após as quartas de final
+
Tim Krul sabia da possibilidade de entrar para a disputa de pênaltis e elogiou a ousadia do comandante
+
Reserva holandês, Krul, pegou duas cobranças. Agora os atuais vice-campeões têm pela frente a Argentina de Messi
+