Segurança, turismo e mobilidade: o que foi feito e como fica Brasília

15/07/2014 - 15:25
Governo do DF divulgou balanço de ações para a Copa do Mundo. Investimentos em segurança, turismo, mobilidade urbana e aeroporto ficam para a cidade

O Governo do Distrito Federal divulgou um balanço das ações ligadas à Copa em áreas como segurança, mobilidade urbana, turismo e geração de energia. Segundo as informações divulgadas, a operação de segurança cumpriu o protocolo estabelecido. Nas datas de jogos, 3.488 policiais militares, civis, federais, bombeiros, auditores de trânsito e equipes da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) trabalharam no interior e nos arredores do estádio. A FIFA Fan Fest contou com o apoio diário de 1.404 profissionais. A Polícia Civil do DF prendeu 18 brasileiros e 18 estrangeiros, autuados por venda ilegal de ingressos. Ao todo, foram 725 tíquetes apreendidos, sendo que 19 foram bilhetes falsos: 706 comercializados nas imediações do Mané Garrincha, Torre de TV, Rodoviária do Plano Piloto, Setor Hoteleiro Sul e shoppings da cidade.

A ocorrência mais grave registrada foi uma tentativa de homicídio, no Estádio Nacional Mané Garricha. Dois argentinos foram acusados de agredir dois brasileiros durante o jogo entre Argentina e Bélgica, em 5 de julho. Uma das vítimas teve lesão em um dos olhos e escoriações pelo rosto, mas não houve complicações. Na área de turismo, os 23 Centros de Atendimento ao Turista (CATs) registraram 50 mil atendimentos de 85 nacionalidades até 10 de julho, número recorde que pode aumentar após a divulgação do balanço final. O Ministério do Turismo estima que 490 mil turistas passaram pela capital federal.

Em relação à mobilidade urbana, não houve dificuldade para se chegar ao Mané Garrincha. O metrô registrou aumento de 30% no número de usuários nos dias de jogos. A média foi de 40 mil pessoas transportadas por dia, segundo a Secretaria de Transportes. Linhas de ônibus convencionais funcionaram normalmente, e linhas especiais sem cobrança de tarifa facilitaram o acesso à arena. Os motoristas que estacionaram os veículos nos bolsões do Parque da Cidade contaram com linhas de ônibus na área central, com parada próxima ao estádio. 

Getty Images#

Equipamentos renovados

As forças de segurança do DF – Polícia Militar, Polícia Civil, Detran e Corpo de Bombeiros – adquiriram 1.924 novas viaturas, entre aviões, helicópteros, caminhões, carros normais e especiais, motocicletas e vans. O Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que coordena as ações de segurança durante o Mundial, iniciou a operação em maio de 2014. Instalado na Secretaria de Segurança Pública, o local é equipado com ferramentas de inteligência e aparelhos tecnológicos de última geração. Todos os equipamentos ficam para uso das forças de segurança do DF a partir de agora. Durante o Mundial, 320 câmeras funcionaram no monitoramento de toda a área central, dos arredores do Estádio Mané Garrincha e do Taguaparque, espaço que abriga o FIFA Fan Fest, em Taguatinga, além de algumas regiões do DF. Até o fim do ano, serão 835 câmeras. O investimento total é de R$ 160 milhões, sendo R$ 90 milhões do GDF e R$ 70 milhões do governo federal.

Mobilidade Urbana

DF-047
A ampliação da via que liga o Aeroporto JK ao centro de Brasília, única obra de mobilidade urbana na Matriz de Responsabilidades da Copa, foi inaugurada em maio de 2014. A entrega beneficia 160 mil pessoas que passam diariamente pelo local, em 80 mil veículos. O investimento foi de R$ 54 milhões.

Expresso DF
O Eixo Sul do Expresso DF não estava na Matriz da Copa, mas o sistema, que liga as cidades de Gama e Santa Maria ao Plano Piloto, iniciou a operação comercial em 30 de junho. São 43km de vias exclusivas e compartilhadas para ônibus, com redução do tempo de viagem de 1h20 para 40 minutos. O investimento é de R$ 617 milhões, com recursos do PAC Mobilidade e contrapartida do GDF.

Viaduto W3 Sul
O viaduto da W3 Sul, orçado em cerca de R$ 20 milhões, foi inaugurado em junho e beneficia os motoristas que passam pelo local. Ele tem 55m de comprimento por 38m de largura e 5,5m de altura. Além dos carros, será importante para dois modais de transporte que se utilizarão dele no futuro: o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e os ônibus urbanos.

Calçadas
A Novacap investiu R$ 1 milhão na recuperação das calçadas que ligam os Setores Hoteleiros Norte e Sul ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Além do calçamento, foram construídas rampas de acessibilidade e realizadas adequações pontuais para facilitar o acesso dos torcedores que caminharam dos hoteis ao estádio.

Geração de energia

A Companhia Energética de Brasília (CEB) entregou em dezembro de 2013 a Subestação Estádio Nacional, na área externa do Mané Garrincha. A subestação conta com 30 circuitos alimentadores, sendo que apenas dois atendem à arena. Os outros 28 são direcionados ao abastecimento do Plano Piloto. O investimento foi de R$ 23,4 milhões.

Turismo

Torre de TV
A primeira etapa da reforma da Torre de TV foi inaugurada em junho e o monumento esteve no roteiro dos turistas que visitaram Brasília durante a Copa. A primeira grande reforma da Torre após 47 anos de existência incluiu pisos térreo e de ligação com a feira de artesanato, guarda-corpos, piso inferior, revitalização dos três elevadores e instalação das escadas rolantes ligando a Torre à feira. Após a Copa, a fachada do monumento passará por restauração, com previsão de inauguração até o fim de 2014.

Sinalização
Um total de 1.219 placas com orientações sobre os pontos turísticos foram instaladas em Brasília atualizando a sinalização turística da cidade, que seguia a mesma desde a década de 70.

Aeroporto
A reforma e a ampliação do Aeroporto Internacional JK foi realizada por entes privados, mas os governos federal e distrital acompanharam cada etapa. O Consórcio Inframérica venceu a licitação de concessão promovida pelo governo federal e executou o projeto. Em maio, o consórcio concluiu a obra de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek, com a entrega do Píer Norte. O Píer Sul foi inaugurado um mês antes. Com os dois novos píeres, a capacidade do aeroporto passa para 21 milhões de passageiros  por ano. A estrutura atual conta com 29 fingers (pontes de embarque). Antes das intervenções, eram 13. O investimento total da Inframerica foi de R$ 1,2 bilhão.

Fonte: Governo do Distrito Federal

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+
No confronto entre Brasil x Colômbia, pelas quartas de final, a lotação hoteleira de Fortaleza alcançou 97%
+
Terminais que tiveram obras entregues foram os melhores avaliados em levantamento realizado entre abril e junho
+