Salvador registra segunda maior ocupação hoteleira na primeira fase da Copa

03/07/2014 - 23:13
A capital baiana deve atingir a marca de 70 mil estrangeiros até o fim do Mundial

Com um índice de 90%, Salvador foi a cidade-sede com a segunda maior ocupação hoteleira na fase de grupos da Copa do Mundo, atrás apenas do Rio de Janeiro, que registrou 92%. Os dados são do Fórum de Operadores Hoteleiros (FOHB) e foram divulgados pelo Ministério do Turismo.

No período de 11 a 18 de junho, que correspondeu aos primeiros jogos do Mundial, a média geral de ocupação nas 12 cidades-sede ficou em 80%. Na primeira etapa do torneio, a Arena Fonte Nova recebeu as torcidas de Espanha, Holanda, Alemanha, Portugal, Suíça, França, Bósnia e Irã. De acordo com a Secretaria de Turismo da Bahia (Setur-BA), até o fim do Mundial a capital baiana deve atingir a marca de 70 mil estrangeiros.

“Os jogos na Fonte Nova atraíram brasileiros e turistas de diversas nacionalidades, que incrementaram a economia local e ofereceram a perspectiva de crescimento futuro do setor”, destacou o secretário estadual de Turismo, Pedro Galvão. No jogo entre Bélgica x Estados Unidos, válido pelas oitavas de final, 68% do público presente era de estrangeiros, sendo 11% de norte-americanos.

Quitutes

Além dos hotéis, os turistas estrangeiros movimentaram bares, restaurantes, lojas e segmento de prestação de serviço, fortalecendo os negócios e a economia da cidade. “Mais de quatro mil unidades de quitutes, acarajés, abarás, bolinhos de estudante e outros foram vendidos pelas baianas”, detalhou o secretário estadual da Copa, Ney Campello.

O gestor também destacou que, nos primeiros quatro jogos, as baianas credenciadas arrecadaram mais de R$ 25 mil com a venda dos quitutes. Já os pontos turísticos mais frequentados pelos visitantes, segundo Setur-BA, são o Templo Afro-brasileiro do Gantois, o Porto e o Farol da Barra e o Pelourinho estão entre os locais mais procurados pelos visitantes.

Jornalistas

Mais de 700 jornalistas já passaram pelo Centro Aberto de Mídia da Bahia (CAM-BA) ao longo da Copa. A estrutura montada no Centro de Cultura da Câmara Municipal, no Centro Histórico de Salvador, recebeu profissionais da Holanda, Espanha, Suíça, Egito e Venezuela, além de jornalistas de agências de notícias como a britânica Reuters e a americana Associated Press.

O Centro tem capacidade para atender até 100 profissionais por dia, trabalhando simultaneamente com computadores conectados à Internet, auditório, televisores e wi-fi, num ambiente climatizado com uma vista para a Baía de Todos-os-Santos. O local funciona diariamente das 9h às 18h, mas em dias de jogos na Arena Fonte Nova ou da Seleção Brasileira, fica aberto até duas horas após o encerramento da partida.

Mellyna Reis, do Portal da Copa em Salvador (BA)

Notícias Relacionadas

Visitantes gastaram US$ 6,9 bilhões no país. O resultado teve forte influência da Copa do Mundo
+
No confronto entre Brasil x Colômbia, pelas quartas de final, a lotação hoteleira de Fortaleza alcançou 97%
+
Ações do Mundial foram apresentadas a gestores públicos em encontro no Palácio do Planalto. Pronatec Turismo registrou mais de 166 mil matriculados até o início do torneio
+
No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+