Rivais do Brasil na primeira fase comentam resultado do sorteio

01/12/2012 - 16:12
Japão investe na qualidade crescente da equipe. México aposta que pode ser mais que figurante. Itália prevê confrontos equilibrados

Japão, México e Itália. Minutos depois do sorteio que definiu os adversários do Brasil na Copa das Confederações, os técnicos das equipes comentaram suas impressões.

O treinador do Japão, o italiano Alberto Zaccheroni, prevê dificuldades para sua equipe até pelo histórico dos rivais. "A questão é que todos os três estão em melhor no ranking que nós, o que quer dizer que tiveram melhores atuações recentemente. No entanto, temos crescido muito, temos jogadores experientes, atuando no exterior e, principalmente, na Europa, o que nos faz pensar que o nosso nível cresceu", comentou.

Fotos: Glauber Queiroz/Portal da Copa/ME#Zaccheroni, treinador do Japão, encara como um privilégio atuar na abertura contra o Brasil

Para Zaccheroni, será um privilégio estar na partida de abertura, em 15 de junho, em Brasília, diante do Brasil. Segundo ele, outra preocupação será dosar a energia do grupo, já que os japoneses terão uma partida válida pelas Eliminatórias da Copa dias antes do torneio.

Sem freguesia
As boas atuações recentes da equipe do México diante do Brasil, com vitórias em amistosos e até na final da Olimpíada de Londres, não criam expectativas excessivas no treinador mexicano, José Manuel de la Torre. 

#José Manuel de la Torre, treinador do México, descarta que o Brasil tenha se tornado "freguês"

"As vitórias anteriores já fazem parte da história. Se a equipe teve sucesso antes é porque nos preparamos bem, mas isso não vale mais. Temos que analisar o nosso oponente a partir de agora para tentar ganhar de novo", afirmou. 

De la Torre ressaltou que o Grupo A, com Brasil e Itália, reúne nove títulos mundiais. "Isso significa uma enorme oportunidade para seguirmos crescendo, e não com o objetivo de participar apenas, mas passar à segunda fase e buscar o título, como já o fizemos no México em 1999", disse.

#Cesare Prandelli, técnico da Itália, não acredita que a ordem das partidas terá influência decisiva

Concentração e mentalidade
Para o treinador da Itália, Cesare Prandelli, o torneio reservará espaço para um encontro entre amigos, na partida contra o Japão, treinado pelo italiano Alberto Zaccheroni. Assim como Luiz Felipe Scolari, ele não acredita que a ordem dos jogos será um problema. "O que nos importa é conseguir fazer com que nossa equipe mantenha a concentração e a mentalidade necessária para enfrentar tantas equipes fortes”, disse. Outra preocupação dele é criar uma logística que preserve o elenco nas viagens entre Rio de Janeiro, Recife e Salvador, palcos das três primeiras partidas italianas.

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Coordenador geral de seleções, Gilmar Rinaldi, confirmou que o Brasil será comandado pelo treinador da equipe de base, Alexandre Gallo, nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Novos membros da comissão técnica serão anunciados em breve
+
No total, mais de 3,05 milhões de pessoas se movimentaram pelo país durante o evento
+
Brasil e Argentina se enfrentarão no Estádio Ninho do Pássaro, na capital chinesa
+
Tetracampeonato na Copa do Mundo de 2014 garantiu o primeiro lugar da lista para os germânicos pela primeira vez em 20 anos
+