Representantes da ONU propõem a ministérios campanha de prevenção à Aids durante a Copa

04/07/2012 - 15:46
O objetivo do encontro foi sugerir a campanha “Cartão Vermelho para a Aids”, com ações de combate e prevenção durante a realização da Copa do Mundo da FIFA 2014 no Brasil

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, recebeu nesta quarta-feira (04.07), em Brasília, representantes da Unaids, o programa conjunto das Nações Unidas (ONU) de combate ao vírus HIV. O objetivo do encontro foi propor a campanha “Cartão Vermelho para a Aids”, que promoverá ações de combate e prevenção durante a realização da Copa do Mundo da FIFA 2014 no Brasil.  A campanha foi realizada na África do Sul e contou com o apoio do Ministério do Esporte e Lazer sul-africano e dos capitães de 28 seleções participantes do Mundial de 2010, por meio da assinatura de um termo de cooperação.

Foto: Glauber Queiroz/Ministério do Esporte#

Participaram do encontro o coordenador da Unaids no Brasil, Pedro Chequer, o diretor executivo da Unaids, Dibril Diallo, a deputada federal Alice Portugal, a vereadora de Salvador Olívia Santana, o secretário da Secopa da Bahia, Ney Campello, e o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco, além de representantes da Assessoria Internacional e da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Diretos do Torcedor do Ministério do Esporte.

O diretor do programa da ONU, Dibril Diallo, explicou que o foco das ações é o público jovem. Segundo dados da entidade, dos 34 milhões de infectados com o vírus em todo o mundo, metade tem entre 15 e 24 anos. “Em junho de 2010, lançamos essa iniciativa e trabalharemos com ela até 2014. Na Copa do Brasil, o objetivo é usar o poder e a popularidade do esporte contra a Aids”, afirmou Diallo, ressaltando que em três anos a entidade pretende alcançar o que chama de “meta dos três zeros”: zero discriminação, zero contaminações e zero mortes relacionadas ao vírus. “Queremos desenvolver a campanha de forma global, antes e durante a Copa, com estratégias de comunicação que envolvam os serviços públicos, a participação dos prefeitos das 12 cidades-sede e personalidades do futebol”, completou Diallo.

“A campanha já apresentou resultados importantes. É fundamental contar com o apoio tanto dos ministérios do Esporte e da Saúde quanto das federações e personalidades de futebol. A Copa é do mundo, logo acreditamos que essa campanha deve envolver todas as seleções”, defendeu a vereadora Olívia Santana.

Visibilidade
Para Dirceu Greco, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a visibilidade da competição em 2014 contribuirá para o sucesso da campanha. “Este é um bom momento para trazer à tona essa discussão, que normalmente só acontece no carnaval e no dia 1º de dezembro (dia mundial de prevenção contra a Aids), enquanto a prevenção é necessária e é realizada durante todo o ano”, disse. “O combate à Aids pode ser relacionado aos eventos esportivos que estamos vivendo, e a Copa pode ser determinante para disparar esse cuidado com a juventude”, completou a deputada Alice Portugal.

“A Copa não é só a celebração do futebol, mas um momento que será acompanhado por mais de três bilhões de pessoas. Nós sabemos da dimensão desse evento. É uma oportunidade que o Brasil tem de enfrentar seus desafios, assim como foi na África do Sul. Queremos motivações que não sejam somente brasileiras, mas de toda a humanidade, deixando uma herança para o mundo, com resultados na saúde, educação, desenvolvimento humano e no combate ao racismo”, afirmou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

Estabelecido em 1994, por uma resolução do Conselho Econômico e Social da ONU (Ecosoc), e lançado em janeiro de 1996, o Unaids é guiado por uma Junta de Coordenação de Programas, com representantes de 22 governos de todas as regiões geográficas, além das agências co-patrocinadoras (Acnur, Banco Mundial, OIT, OMS, PMA, PNUD, Unesco, UNFPA, Unicef e UNODC), do Secretariado do Unaids e de cinco representantes de organizações não-governamentais, incluindo associações de pessoas portadoras do vírus HIV.

Fonte: Ministério do Esporte

Notícias Relacionadas

Diretora da Unaids no Brasil se encontrou nesta terça com o ministro do Esporte, que assinou a bola que simboliza a iniciativa. Um exemplar com as rubricas da presidenta Dilma e de outros chefes de Estado será levado para a Assembleia Geral da ONU
+
Vila Olímpica do Caju, que recebe a competição, é considerada pelo presidente da FIFA o 13º estádio da Copa do Mundo
+
Luis Fernandes participou do Terceiro Seminário de Gestão Esportiva da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, e apresentou o histórico da preparação do país para sediar o megaevento.
+