Para Ministério da Saúde, JMJ foi grande passo na preparação para próximos megaeventos

30/07/2013 - 16:10
Balanço divulgado pela pasta mostra que houve 4.780 atendimentos médicos e que menos de 2% dos casos necessitaram de transferências para unidades da rede municipal

O Ministério da Saúde concluiu o balanço de ações realizadas durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, entre os dias 23 e 28 de julho. Durante o evento, que reuniu cerca de três milhões de pessoas, foram contabilizados 4.780 atendimentos médicos. Destes, menos de 2% dos casos (84) necessitaram de transferências para unidades da rede municipal de saúde. Entre as principais causas relatadas estavam o mal-estar geral, crises de asma, hipertensão (em idosos), vômito, diarreia, dor lombar e cansaço.

Todas as ocorrências de saúde foram monitoradas pelos Centros Integrados de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS) Nacional e Regional (composto por municípios e estado do Rio), com o objetivo de acompanhar os casos e possibilitar a tomada de decisões rápidas com respostas qualificadas às variadas ocorrências. As ações foram acompanhadas em tempo real, garantindo agilidade ao processo.

“A Jornada Mundial da Juventude foi um evento de muita complexidade que demandou um trabalho intenso das equipes de vigilância e assistência. A cada evento que participamos, damos um passo a mais em direção à excelência no atendimento de brasileiros e estrangeiros que visitarão o Brasil durante os grandes eventos esperados para os próximos anos”, avaliou o secretário-executivo adjunto, Adail Rollo.

Outra ação importante realizada pelo ministério foi o envio de 20 profissionais da Força Nacional do SUS (FN-SUS) para auxiliar nas atividades de saúde desenvolvidas pelos gestores locais. Para a JMJ, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro montou 11 Postos de Atendimento e mobilizados 240 profissionais de saúde, divididos em: 103 médicos, 35 enfermeiros e 102 técnicos de enfermagem. Além disso, foram separados para o evento 79 leitos e 60 ambulâncias.

Vigilância

A Anvisa também participou das ações de saúde, reforçando o trabalho em portos, aeroportos e fronteiras para fiscalizar a entrada de alimentos e medicamentos no país. Os profissionais da Anvisa passaram aos visitantes orientações sobre consumos de alimentos e bebidas de forma saudável, vacinas necessárias, prevenção de acidentes, entre outras.

Fonte: Ministério da Saúde

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+