Para Felipão, não será difícil Brasil ser campeão do mundo

07/02/2014 - 12:37
Em palestra no Instituto Brasiliense de Direito Público, nesta sexta, o treinador também convocou a torcida para apoiar a Seleção no Mundial e disse que esse foi o diferencial no título da Copa das Confederações

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, convocou a torcida para apoiar a equipe na Copa do Mundo, como foi na Copa das Confederações de 2013, e mostrou confiança na conquista do título mundial este ano. O treinador foi o convidado da aula magna desta sexta-feira (07.02) no Instituto Brasiliense de Direito Público, em Brasília. A aula também contou com as presenças do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do STF, Gilmar Mendes, do STJ, Marco Aurélio Buzzi, e do presidente do TCU, Augusto Nardes.

“Eu pergunto: vocês aceitam ser segundo no campeonato mundial? Ninguém aceita, então o que eu tenho que ser? Primeiro. Todos nós queremos ser primeiro e podemos ser. É a torcida que passa toda a energia para nós, vocês foram importantes na Copa das Confederações e influenciaram o meu time. Eu não vou dizer que o segundo está bom, porque não vai adiantar”, afirmou Felipão.

Fotos: Francisco Medeiros/ME#

Para o treinador, não será difícil ser campeão do mundo em julho, porque ele se preparou ao longo da vida para isso e o planejamento da Seleção Brasileira está traçado, restando apenas algumas definições de atletas para fechar o grupo da Copa.

“Não é difícil que a gente chegue lá. A gente tem que dar os passos, plantar, buscar e se preparar. Não tem nada de difícil para mim, nesse momento, para ser campeão do mundo no Brasil, mas temos que provar que somos melhores e temos condições para isso (...) O que tínhamos que fazer para que todos acreditassem em nós, além de jogar bem e ter a confiança dos jogadores, era planejar. Por que estou tranquilo? Porque foi tudo planejado e organizado, ninguém vai mudar nada. Pode não estar pronto em uma ou outra coisa na escolha por jogadores, porque no futebol muitas vezes temos que mudar, mas o resto está pronto”, explicou.

O apoio da torcida brasileira na Copa das Confederações, para Felipão, foi o fator que fez a diferença para o Brasil durante a campanha que levou ao título no dia 30 de junho de 2013, no Maracanã, contra a Espanha, atual campeã do mundo. “Estejam conosco no Mundial: participem, vibrem, partilhem esse espírito. Queremos que nos ajudem, principalmente nos momentos mais difíceis, porque aí fazemos a diferença. Não fomos nós que fizemos a diferença no Maracanã, foi o Hino Nacional. O povo brasileiro participou do hino e quando começou o jogo, os espanhóis estavam olhando para o lado, assustados. E os nossos jogadores cantando, cada um parecia um leão”, disse.

Identidade cultural

O ministro do Esporte destacou a importância do futebol para a sociedade brasileira, não só pelo aspecto esportivo, mas pela contribuição na formação da identidade cultural do país. “Acredito que o futebol se tornou um esporte universal, porque gera expectativas e possibilidades que nenhuma outra atividade humana é capaz. E o Brasil deu uma contribuição singular para isso. O Brasil era mais desigual que hoje, mas o futebol foi plataforma de ascensão social para negros e pobres. O Felipão é um expoente disso, não só pelo esporte, mas pelo que representa”.

A Seleção Brasileira será convocada em 11 de fevereiro para o último duelo antes da divulgação da lista final de atletas que disputarão a Copa do Mundo. O amistoso será contra a África do Sul, no dia 5 de março, em Johanesburgo.

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
As duas equipes se enfrentarão em Singapura. Este será o quarto jogo do Brasil neste segundo semestre
+