Novo Mineirão: transformação em três anos de obras

21/12/2012 - 10:46
Confira detalhes do trabalho de reforma do estádio, iniciado em 25 de janeiro de 2010, com custo total de R$ 666,3 milhões

O dia 25 de janeiro de 2010 foi o ponto de partida da reforma do Mineirão. De lá para cá, quase três anos de trabalho. O torcedor que estava acostumado a frequentar a arena vai constatar que a fachada, patrimônio municipal, foi mantida. Internamente, contudo, o estádio foi completamente renovado.

“A fachada foi mantida porque é um bem tombado pelo patrimônio histórico. Então tivemos de adequar a modernidade à estrutura antiga. Quando o Mineirão foi construído, não havia as técnicas de engenharia nem as exigências do futebol atual, então tivemos que pegar a antiga carcaça e transformá-la numa moderna arena”, disse Ricardo Barra, diretor-presidente do Consórcio Minas Arena.

Na primeira etapa, foram feitos reparos estruturais. Na segunda, de 26 de junho a 20 de dezembro de 2010, houve a demolição de parte da arquibancada inferior e da geral, e o rebaixamento do campo em 3,4 metros. Essas duas fases foram realizadas com recursos do governo de Minas Gerais, por R$ 11,8 milhões.

Na reforma e modernização, mais de 9 mil toneladas de aço, 717 toneladas de concreto e 137 máquinas foram utilizados. Trabalharam três mil pessoas no momento de pico, sendo 82 jovens que assinaram a carteira pela primeira vez, 103 mulheres e 46 detentos que puderam reduzir a pena com o trabalho no estádio. Também foram oferecidos cursos de alfabetização e noções de informática aos operários.

Foto: Rodrigo Lima/Portal da Copa/ME#

» Confira a cobertura completa do Portal da Copa sobre a entrega das obras do Mineirão

A terceira e última etapa adequou o estádio ao padrão estabelecido pela FIFA. Para viabilizar essa fase, foi feita uma parceria público privada (PPP), no valor de R$ 654, 5 milhões, com o consórcio Minas Arena, constituído pelas construtoras Construcap S.A., Egesa Engenharia S.A. e Hap Engenharia Ltda. Essa última etapa teve início em 21 de dezembro de 2010 e foi concluída em 21 de dezembro de 2012. Dos R$ 654,5 milhões, R$ 400 milhões são de financiamento federal pelo BNDES.

O consórcio é responsável pela reforma e pela operação do estádio nos próximos 25 anos. Pelo modelo da parceria, o estado de Minas foi responsável pelo monitoramento da reforma e, depois da reabertura, deverá fiscalizar o funcionamento da arena. O contrato estabelece 200 indicadores de desempenho para assegurar a qualidade do serviço prestado pelo parceiro privado.

Os clubes de futebol poderão fazer acordos comerciais com o gestor do estádio. O contrato assegura cerca de 60 partidas de futebol por ano no Mineirão.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Terminais que tiveram obras entregues foram os melhores avaliados em levantamento realizado entre abril e junho
+
Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+
Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+