Novo Mineirão: brasileiros e uruguaios que jogaram partida histórica recebem homenagem

21/12/2012 - 12:50
No dia da entrega da arena da capital mineira, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, encontra os craques que fizeram a primeira partida da Seleção no estádio, em 7 de setembro de 1965

Fotos: Danilo Borges/Portal da Copa#

Horas antes da entrega da obra do Novo Mineirão, prevista para 16h desta sexta-feira (21.12), o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, prestou homenagem a jogadores que fizeram história no estádio da capital mineira.  Em 7 de setembro de 1965, Brasil e Uruguai se enfrentaram em  amistoso no Mineirão recém-inaugurado. Foi a primeira partida da Seleção no estádio. Na ocasião, o Brasil foi representado pelo Palmeiras e venceu a equipe celeste por 3 x 0.

Sete jogadores daquelas equipes receberam na manhã desta sexta uma placa de homenagem das mãos do ministro na sede do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. Estiveram presentes cinco brasileiros: Ademir da Guia, Olegário Toloi (Dudu), Rinaldo Amorim, Procópio e Dario – e dois uruguaios – Luis Alberto Varela e Héctor Silva.  Nas placas, a mensagem: nosso reconhecimento pelos serviços prestados ao futebol mundial e à história desse estádio.

“Toda homenagem é pouca por tudo o que o futebol representa para as pessoas e para os países, por levantar a autoconfiança dos povos. Esses atletas deram aos seus países respeito, dignidade, nome e admiração. Que recebam nosso reconhecimento, admiração e carinho hoje e sempre”, disse o ministro.

» Confira a cobertura completa do Portal da Copa sobre a entrega das obras do Mineirão

Os jogadores também vão guardar outra lembrança. Cada um recebeu uma camisa da seleção adversária com o design da década de 60, autografada por todos os homenageados desta manhã. Elas foram entregues aos ex-atletas pelo secretário de Copa de Minas, Tiago Lacerda. “Temos que trabalhar para repetir esse primeiro jogo entre Brasil e Uruguai no Novo Mineirão. Hoje é um marco muito importante”, disse.

“É com alegria que estamos aqui. Naquela inauguração, foi uma satisfação grande o Palmeiras estar representando a Seleção. Os uruguaios souberam perder e viram que o Palmeiras soube honrar a camisa amarela do Brasil”, disse Dudu que, na sequência, entregou uma camisa do Brasil ao ministro (foto abaixo). Héctor Silva também agradeceu a homenagem e deu a Aldo Rebelo uma camisa do Uruguai.

Emocionado, Luis Alberto Varela relembrou a partida e comentou a homenagem . “Como vou esquecer aquele jogo? Perdemos de 3 x 0, mas lembro de coisas muito lindas também. E hoje nos encontramos, 45 anos depois, e fiquei maravilhado com a atenção e com a homenagem”, disse.

Ídolos mineiros
Também receberam homenagem do Ministério do Esporte craques mineiros que são ídolos dos principais times da capital: Reinaldo, do Atlético Mineiro e Wilson Piazza, do Cruzeiro. Jogadores que não só foram ídolos das equipes locais, como nomes importantes do futebol brasileiro. Aldo se referiu a Piazza como “jogador cuja presença impunha ao torcedor e aos adversários respeito e admiração”, e a Reinaldo como "um Deus dos estádios, festejado, celebrado e talento temido.” Euller, ídolo do América, também receberá a homenagem, mas não pôde comparecer à cerimônia.

Convênios
No evento, o ministro do Esporte e o presidente do Minas Tênis Clube, Sérgio Bruno Coelho, assinaram convênios para a capacitação de profissionais e a aquisição de materiais esportivos e tecnológicos com vistas à preparação do clube para os jogos olímpicos e paraolímpicos de 2016.

#O ministro Aldo Rebelo, o secretário de Copa, Tiago Lacerda, e Ademir da Guia, um dos homenageados

» Assista a um vídeo sobre a homenagem

Carol Delmazo – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

As duas equipes se enfrentarão em Singapura. Este será o quarto jogo do Brasil neste segundo semestre
+
Brasil enfrentará a Colômbia em 5 de setembro e o Equador no dia 9. Os jogos serão nos Estados Unidos
+
Diretora da Unaids no Brasil se encontrou nesta terça com o ministro do Esporte, que assinou a bola que simboliza a iniciativa. Um exemplar com as rubricas da presidenta Dilma e de outros chefes de Estado será levado para a Assembleia Geral da ONU
+