Japão pronto para a reação e Grécia nega que incidente em treino influencie partida

18/06/2014 - 22:40
Os dois times se enfrentam na Arena das Dunas e tentam se recuperar de derrota na primeira rodada

Foto: Mark Kolbe/ Getty Image#O meia Makoto Hasebe está entre os prováveis escalados pelo técnico ZaccheroniAs seleções do Japão e da Grécia realizaram, nesta quarta-feira (18.06), o treino de reconhecimento no gramado da Arena das Dunas, em Natal, pela segunda rodada da Copa do Mundo, nesta quinta (19.06), às 19h. No lado japonês, o que chamou atenção foi o pedido de atenção do técnico Alberto Zaccheroni, que quer um uma partida perfeita. No grego, o time se esforçou para garantir que um incidente entre dois jogadores não vai afetar o desempenho da equipe.

“O mínimo erro em um jogo o time pode ser derrotado e nós estamos conscientes de que perdemos a primeira rodada. Mas o time entendeu o que não deveria ter feito e se preparou muito bem para a próxima. Cada partida é totalmente diferente da outra. No final do último jogo eu já disse o que deveríamos ter feito. Pedi ao time que focasse nisso, e não o que foi feito no jogo passado. Já foi discutido internamente e agora é focar contra um adversário diferente. Vamos explorar nossa melhor característica para colocar o adversário em desvantagem”, disse Zaccheroni.

Apesar de a expectativa no Japão ser de que o time irá se classificar, Zaccheroni garante que não teme pressão. “Todos os times estão sob pressão e estamos aqui tentando superar cada etapa, vencer a cada partida. Nós sabemos também, como já foi visto em grandes partes dos jogos, um equilíbrio. Aqui temos os melhores times do mundo e os resultados nunca são previsíveis. Treino há 30 anos e nunca vi qualquer temporada sem pressão. Então isso é normal. No Japão há expectativas importantes e temos que respeitá-las”, disse ainda.

O técnico italiano não deu pistas sobre o time que vai lançar contra os gregos, mas deixou nas entrelinhas de que não deve fazer modificações na escalação, e sim na postura tática da equipe. Desta maneira, o provável Japão tem: Kawashima; Uchida, Yoshida, Nagatomo e Morishige; Hasebe, Yamaguchi, Honda e Kagawa; Okazaki e Osako.

Grécia

A Grécia começou a Copa do Mundo perdendo para a Colômbia por 3 x 0. Desde então o clima não ficou dos melhores e houve até uma séria discussão entre dois atletas em um treino em Aracaju, onde o time escolheu como base. E, segundo a imprensa grega, o zagueiro Maniatis e o meia Tzavellas por pouco não se agrediram fisicamente após o defensor ter cobrado mais atenção do meia, que não gostou e insultou o colega. Os dois, ainda de acordo com a imprensa do País, já tinham uma rixa antiga por conta da rivalidade dos clubes locais.

Maniatis joga no Olympiacos e Tzavellas no PAOK. Durante a discussão, o primeiro teria dito: “Aqui não é o PAOK”. Mas tratando o assunto como um “incidente”, os jogadores Torosidis, Papastathopoulos e Christodoulopoulos disseram, durante a coletiva de imprensa antes do treino de reconhecimento na Arena das Dunas, realizado na noite desta quarta-feira (18.06), que nada do que aconteceu irá influenciar na partida contra o Japão. “Não há qualquer problema interno. O que aconteceu no treino foi algo de menor importância, nada que atrapalhe para o jogo. Situações como essas às vezes são boas só para a imprensa. O incidente não tem nada a ver com a vontade de jogar amanhã. São detalhes que não contam em campo. Já estive envolvido em situações semelhantes, mas na hora do jogo atuamos em grupo”, disse o defensor Papastathopoulos.

Agora, segundo ele, é ir para o tudo ou nada contra o Japão. “Amanhã é um jogo sério e vamos brigar pela Grécia. Para isso estamos aqui. Daremos 200% de nós para conseguir isso. Quem estiver no melhor dia terá uma vantagem, o que não tivemos no primeiro jogo. Essa partida para nós é como uma final”, afirmou. Para conseguir esse objetivo, a Grécia terá que marcar gols, o que não é muito comum na equipe em copas do mundo. Mas o lateral Torosidis diz que isso precisará acontecer contra o Japão. “O fato é que amanhã temos que ganhar, quer seja com gol contra ou não, o importante é ganhar. Futebol é festa e é assim que vamos jogar, fazendo de tudo para vencer”.

Fernando Santos disse não ter certeza se irá realizar modificações em relação ao jogo contra a Colômbia. O time base da Grécia tem: Karnezis; Maniatis, Manolas, Kone e Torosidis; Katsouranis, Papastathopoulos, Cholevas e Sapingidis; Gekas e Samaras.

“Teremos que ganhar e entraremos em campo altamente concentrados no que fazer como equipe. Queremos fazer história. O Japão tem uma equipe forte, com o mesmo pensamento e objetivo que o nosso, e me surpreendeu um pouco (na estreia contra Costa do Marfim) em relação ao que tinha observado em jogos anteriores. Vi um time diferente do que tinha observado. Mas estamos preparados para isso, vimos o que eles são capazes de fazer, é um time de mais posse de bola nos jogos que observei”. Sobre a confusão entre os jogadores no treino, Santos disse que teve uma conversa com os dois, bem longa e pessoal. “Eles são da minha confiança e se comprometeram comigo”, afirmou.

Paulo Victor Correia, do Portal da Copa em Natal

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
As duas equipes se enfrentarão em Singapura. Este será o quarto jogo do Brasil neste segundo semestre
+
Levantamento ouviu mil pessoas, no período de 12 a 25 de junho, e engloba visitantes estrangeiros e nacionais
+
Marcelo Mourão rodou o Nordeste pintado de verde e destacou a receptividade do povo brasileiro
+