Arena da Amazônia recebe certificação de sustentabilidade

20/06/2014 - 16:26
O anúncio foi feito nesta sexta-feira, na sede do Governo do Amazonas

A Arena da Amazônia conquistou o selo de certificação LEED para empreendimentos sustentáveis. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (20.06) pelo secretário extraordinário e coordenador da UGP Copa, Evandro Melo. A iniciativa de adotar medidas sustentáveis na construção dos estádios foi feita de forma voluntária pelo governo brasileiro. Este foi um requisito para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberasse financiamento para as obras. A exigência, inclusive, será adotada pela FIFA para as próximas edições do Mundial. “Nós fomos notificados pela LEED e ficamos felizes por termos, depois de tanto trabalho, conseguido a certificação”, declarou Melo.

Vários fatores ligados à sustentabilidade foram observados durante a construção da arena. A irrigação do campo é automatizada e feita por 35 aspersores e pode utilizar a água dos reservatórios, com capacidade para 120 mil litros, que armazena a chuva captada pela cobertura. Há sete tanques que recebem a água das chuvas. A água é refiltrada e retratada para ser reutilizada. Uma área de mais de 20 mil metros quadrados de captação na cobertura faz com que a água possa ser direcionada para os tanques.

Fotos: Agnaldo Oliveira Junior/Portal da Copa#Estrutura da cobertura permite aproveitar o alto índice pluviométrico de Manaus para captar água da chuva, usada na irrigação do gramado e nos banheiros

» Confira detalhes sobre a Arena da Amazônia

Com 11 metros de altura acima das vias ao redor da Arena da Amazônia, o nível do pódio tem 14 aberturas para aumentar a ventilação da área interna. A cobertura translúcida permite uma passagem maior de luz, diminuindo o uso de energia artificial. Além disso, a membrana do “teto” reflete até 75% dos raios solares, diminuindo a temperatura no local e a necessidade do uso de refrigeração. Na construção do estádio, 95% do material da demolição do antigo Vivaldo Lima foi reaproveitado.   

Manaus foi a cidade-sede que menos emitiu gases de efeito estufa durante as operações do Mundial e tem um programa de carboneutralização voluntário, que também conta com a parceria de organizações não governamentais.  

O LEED é um sistema internacional de certificação e orientação ambiental para edificações, utilizado em 143 países, e possui o intuito de incentivar a transformação dos projetos, obra e operação das edificações, sempre com foco na sustentabilidade de suas atuações.

Acessibilidade

Na Arena da Amazônia existem 118 assentos para portadores de mobilidade reduzida, 69 assentos para obesos e mais 445 assentos destinados a acompanhantes. Há piso tátil e sinalização específica para deficientes. A Arena tem 16 sanitários exclusivos para PPNE.  Os banheiros coletivos do nível 00 contam adicionalmente com uma cabine PPNE por sexo.

Agnaldo Oliveira Júnior, do Portal da Copa em Manaus

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+
Cooperativas de catadores atuaram nos 12 estádios do Mundial para a recuperação e separação dos resíduos deixados pelos torcedores durante os jogos
+
Na arena Castelão, foram 49,4 toneladas, enquanto na Fan Fest foram outras 41,4 toneladas. Atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições
+