Integração e legado nos serviços de segurança para megaeventos em discussão no Rio

17/09/2013 - 15:37
Para a Copa das Confederações, foram mobilizados 54 mil profissionais de segurança pública. A previsão para a Copa do Mundo é de ultrapassar os 100 mil agentes

Até 2016, a área de segurança de grandes eventos receberá investimentos federais de R$ 2,32 bilhões, dos quais R$ 1,17 bilhão para a Copa do Mundo – parte deles já aplicados na Copa das Confederações – e R$ 1,15 bilhões para os Jogos Olímpicos.

O planejamento foi apresentado nesta terça-feira (17.09) pelo secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, Andrei Augusto Passos Rodrigues. Ele informou que, além de serem usados em grandes eventos, os equipamentos e tecnologias ficarão como legado para as forças de segurança, que contarão ainda com o pessoal capacitado.

"Nada que é investido pelo governo federal tem foco unicamente nos Jogos", disse Rodrigues. Todo o equipamento fará parte do cotidiano das cidades. "Estamos com pesados investimentos na área de tecnologia de sistemas, de equipamentos, enfim, de materiais que realmente serão úteis nos dois focos: segurança dos eventos e legado para o dia a dia das cidades.”

Qualificação

Está prevista a capacitação de 5.017 profissionais das instituições que fazem parte do Sistema Integrado de Comando e Controle de Segurança Pública para Grandes Eventos, disse Rodrigues, durante o Seminário de Gestão de Multidões, Manifestações e Distúrbios Civis nos Grandes Eventos, que vai até sexta-feira (20), no Rio de Janeiro.

O seminário reúne cerca de 150 profissionais dos órgãos estaduais de Segurança Pública das 12 sedes da Copa, além de representantes da Secretaria de Direitos Humanos, do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Ordem dos Advogados do Brasil. O objetivo é debater a questão e elaborar o Plano de Gestão de Multidões, que será encaminhado à Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos.

O secretário explica que uma das motivações para o seminário foram os protestos ocorridos nos últimos meses. “Esse é um dos eventos que estamos promovendo, que está sim focado na questão das manifestações. É um evento que envolve não só as forças policiais, mas diversas instituições, como Advocacia Geral da União, Ministério Público, OAB, Defensoria, Direitos Humanos, Imprensa, para tenhamos a visão de cada uma dessas instituições. Com isso, traçaremos uma diretriz que vai refletir no planejamento operacional para os próximos eventos”.

Integração

Ele destaca que sistema integrado de segurança, coordenado pela Sesge, estará completo até o fim do ano. “Hoje nenhuma instituição pode pretender realizar a segurança de um evento desta magnitude de maneira isolada. O Sistema Integrado já está funcionando quase que na plenitude nas seis cidades que tiveram jogos da Copa das Confederações. Até o fim do ano, o mesmo ocorrerá nas outras seis sedes. A secretaria trabalhará intensamente nessa integração, para que tenhamos jogos no nosso país de maneira pacífica e segura”.

Para a Copa das Confederações, foram mobilizados 54 mil profissionais de segurança pública. A previsão para a Copa do Mundo é de ultrapassar os 100 mil agentes.

Fonte: Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+