Ministro rebate crítica e veta secretário-geral da FIFA como interlocutor da Copa

03/03/2012 - 11:47
Segundo Aldo Rebelo, declarações do secretário-geral da entidade para criticar a preparação do Brasil são "inaceitáveis", "descuidadas" e "não correspondem aos fatos"

Em entrevista coletiva concedida na manhã deste sábado (03.03), em São Paulo, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, anunciou que o governo federal vai comunicar oficialmente à FIFA que a entidade terá de eleger um novo interlocutor para tratar da organização da Copa do Mundo com o Brasil. Segundo Aldo Rebelo, declarações de Jérôme Valcke, na noite de sexta-feira, "não estão no nível do entendimento necessário para a organização de um evento com essa magnitude".

Na opinião do ministro, o secretário-geral da entidade, ao tecer críticas à organização do Mundial no país, fez uso de expressões consideradas "inaceitáveis", "descuidadas" e que "não correspondem aos fatos". Na sexta-feira (02.03), Valcke usou uma expressão em inglês para sugerir o que o Brasil precisava para acelerar os preparativos da Copa. A maior parte da imprensa traduziu a expressão "kick up in the ass", usada pelo secretário-geral, como "chute no traseiro".

"O governo não pode ter mais o secretário-geral como interlocutor. A interlocução não pode ser através de quem emite declarações descuidadas, intempestivas, declarações dessa natureza. Vou comunicar oficialmente ao presidente da FIFA, Joseph Blatter, essa decisão. Precisamos de um interlocutor que tenha condições de entender o nível das responsabilidades e entendimentos necessários para esse tipo de relação. O governo tem se esforçado e continuará apoiando do jeito que é possível a realização da Copa do Mundo. Mas, no plano de todo o governo, o secretário-geral não pode ser mais o nosso interlocutor", afirmou Rebelo.

Segundo Aldo, além de impróprias, as declarações de Valcke são incompatíveis com as boas impressões registradas por escrito pela FIFA após a visita ao país em janeiro e não correspondem, na visão do governo, nem aos fatos nem à realidade. "Ele pôde constatar in loco o andamento das obras. Não só das obras dos estádios, mas das obras de infraestrutura. Teceu elogios que podem ser comprovados em  matéria divulgada pela FIFA na época. O chefe de engenharia da FIFA reconheceu a excelência das obras dos estádios", disse Aldo.

O ministro também citou o trâmite da Lei Geral da Copa (leia íntegra do projeto) no Congresso Nacional, com votação prevista para a próxima terça (06.03) na Comissão Especial da Câmara. "O governo tem se empenhado, embora seja atribuição do Congresso, em aprovar a Lei Geral dentro de um tempo razoável para que tudo o que foi acordado seja cumprido", afirmou o ministro. 

Assista ao vídeo da entrevista

Outras declarações do ministro durante a coletiva:

Infraestrutura
O Brasil tem hoje infraestrutura, logística e capacidade de realizar um evento dessa natureza. Temos aeroportos internacionais em todas as capitais que irão realizar a Copa. Houve países em que a cidade-sede ficava a 300 km do aeroporto e mesmo assim a Copa foi realizada. O Brasil tem tradição de acolher grandes eventos. Acolherá, dentro de poucos meses, a Rio + 20. O Brasil realiza espetáculos, congressos, além de torneios de futebol em quatro níveis (séries A, B, C e D) com grande presença de torcedores. Então, não vejo motivo para que isso seja posto em questão. Na área de infraestrutura de telecomunicações, todas as providências foram tomadas pelo governo para garantir segurança na transmissão de dados, imagens e sinais para dar segurança a promotores e patrocinadores. Na área de segurança, felizmente, o Brasil está fora do circuito das ameaças indesejadas que acontecem em todo o mundo, como atentados e outros riscos para a população civil. Então, acho que o Brasil tem condições.

Hotelaria
No caso da hotelaria, os hotéis não são construídos apenas para o evento. Não é carro alegórico que você constrói para o carnaval. É preciso ter sustentabilidade para garantir ao empreendimento seu sucesso, independentemente de um evento ou de outro. Todas as previsões de investimentos em hotelaria estão relacionadas ao crescimento do país, com a demanda por serviços de turismo, congressos, convenções.

Segurança
Além das providências ordinárias que estão sendo adotas para eventos dessa magnitude, o país adotará medidas específicas. Estamos adquirindo equipamentos e trabalhando arduamente com Polícia Federal, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Marinha, Exército, Aeronáutica, Abin, secretarias de seguranças dos estados para elevar a capacidade de proteção dos cidadãos brasileiros e dos turistas durante a Copa do Mundo.

Relação com a FIFA
Nós temos procurado, eu tenho me esforçado para manter com a FIFA, com o Comitê Organizador Local, uma relação harmoniosa, uma relação de cooperação, respeitosa, com todos os interlocutores. Não temos dado nenhum tratamento carregado de qualquer nível de desconfiança aos interlocutores da FIFA. Acompanhei as visitas na última vez em que o secretário-geral visitou o Brasil, reunindo o Ministério do Esporte. Ofereci-lhe um almoço na minha casa, dando meu testemunho pessoal do desejo de boas-vindas à delegação da FIFA. Então nós temos tido uma atitude cordial, respeitosa, cuidadosa, para dar aos visitantes que representam a FIFA um ambiente de bem-estar no Brasil, de acolhida. Agora, não podemos receber de volta um comentário que é ofensivo até numa relação pessoal. Imagina alguém se referir a outro com essa expressão, que é ofensiva numa relação familiar. Imagina alguém dizer que vai fazer isso com a sua família, com o seu clube, com a sua associação, com a sua cidade. Não pode dizer do seu país, não tem cabimento. Agora, temos e continuaremos a ter relações de alto nível de cooperação com a FIFA. Vamos continuar tendo essa relação e achamos que ela é necessária. E a FIFA continuará tendo no Brasil a acolhida que sempre teve: respeitosa, cuidadosa e de cooperação do governo. O que estamos dizendo é que, do ponto de vista do governo brasileiro, não vemos no secretário-geral o interlocutor para essa relação e ponto.

Portal da Copa

 

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+