Fonte Nova: palco baiano é o terceiro entregue para a Copa das Confederações

05/04/2013 - 02:45
Presidenta Dilma Rousseff participa da entrega da obra, nesta sexta. Bola rola pela primeira vez no domingo, com clássico entre Bahia e Vitória. Série de reportagens do Portal da Copa detalha aspectos como gramado, cobertura, sustentabilidade, acessibilidade, segurança, vestiários e iluminação

Terceira arena a ficar pronta para a Copa das Confederações, a Fonte Nova, em Salvador, será oficialmente entregue nesta sexta-feira (05.04), a partir das 10h, com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do governador da Bahia, Jaques Wagner, além do prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto. As obras físicas foram finalizadas em fevereiro e no mês de março houve ajustes de detalhes.

Para marcar a data, o Portal da Copa preparou uma série de reportagens e reuniu vídeos e infográfico sobre o palco baiano para os megaeventos. Os textos trazem informações detalhadas sobre gramado, cobertura, acessibilidade, sustentabilidade, segurança, conforto para os torcedores, vestiários e iluminação. O estádio tem capacidade para 50 mil torcedores. Na Copa das Confederações e na Copa do Mundo, o número será elevado para 55 mil. Os cinco mil assentos móveis estão sendo posicionados na “abertura da ferradura”, no lado sul da arena.

#Confira infográfico da Fonte NovaA bola vai rolar pela primeira vez no domingo, 7.04, num duelo entre Bahia e Vitória, válido pelo Campeonato Baiano, a partir das 16h. Antes do jogo, haverá uma programação cultural com direito a apresentações de Ivete Sangalo, torcedora do Vitória, e Cláudia Leitte, fã do Bahia. O mestre de cerimônias será o ator baiano Fábio Lago. Os cantores Dan Miranda (Filhos de Jorge), Margareth Menezes, Márcia Short e Mariene de Castro completam o time de artistas escalados. Já o grupo percussivo Olodum vai executar o hino nacional e o hino da Bahia, minutos antes da partida.

Em 28 de abril, a segunda edição do clássico no Estadual será o evento-teste oficial da arena antes da Copa das Confederações. Nessa ocasião, profissionais do Comitê Organizador Local (COL) acompanharão detalhes da operação. Para controlar a arena são necessárias cerca de 1.800 pessoas.

O primeiro jogo da Copa das Confederações na capital baiana será em 20 de junho, entre Nigéria e Uruguai. Em 22 de junho, Brasil x Itália farão o clássico que reúne em campo nove títulos mundiais. A partida será válida pela última rodada da fase de grupos. A capital baiana também sediará a disputa do terceiro lugar, no último dia de competições, 30 de junho.

Na Copa do Mundo da FIFA 2014 serão seis confrontos, quatro válidos pela primeira fase, um das oitavas de final e outro das quartas de final.

O investimento total no empreendimento foi de R$ 591,7 milhões, dos quais R$ 323,6 milhões de financiamento federal via BNDES, além de R$ 268,1 milhões de recursos estaduais. O projeto foi realizado por Parceria Público-Privada entre o governo baiano e as empresas OAS e Odebrecht. A gestão será feita pela Fonte Nova Negócios e Participações, que tem a concessão da arena por 35 anos e é formada pelas duas construtoras.

Foto: André Fofano/Portal da Copa/Março de 2013#Em formato de ferradura, Fonte Nova terá capacidade para 55 mil pessoas nos megaeventos

Características

Batizado de Octávio Mangabeira, nome do governador baiano que idealizou a construção do equipamento, o estádio foi inaugurado pela primeira vez em 1951 e ficou mais conhecido como Fonte Nova. Apesar de implodido em 29 de agosto de 2010, o projeto original foi mantido, inclusive, com a chamada “abertura da ferradura”. A parte sul da Fonte Nova mede 42 metros de altura e conta com um vão aberto, voltado para o Dique do Tororó, único manancial natural da cidade, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Entre as diversas etapas do projeto, mais de 10 mil pessoas estiveram envolvidas desde a implosão da antiga estrutura, edificação do novo equipamento até chegar à atual fase de preparação para a operação.

Foram mais de dois anos e meio de obras, que chegaram a ter 4.500 trabalhadores simultâneos. A Fonte Nova está posicionada em um terreno de 116 mil m² e tem uma área construída de 90 mil m². O edifício tem dez níveis e três anéis de arquibancadas (inferior, intermediária e superior). São quatro pavimentos de garagem, outro com vestiários, zona mista e salas para coletivas de imprensa, um nível para circulação geral, um para lounge premium, um para camarotes, além de um patamar para lounge de imprensa e outro para as cabines de TV.

O volume de concreto utilizado na construção chegou a 45 mil m², com todo o material do antigo estádio sendo reutilizado. A armação da arena pesa 5,2 mil toneladas e a estrutura metálica 1,8 toneladas. Foram usadas 12 mil peças de pré-moldados e 65 mil metros de estacas. De todo o material utilizado, 70% foram de fornecedores da própria Bahia.

Portal da Copa/ME/Março de 2013#

Leia também

» Goleada do Vitória marca inauguração da Arena Fonte Nova

» Dilma Rousseff inaugura Fonte Nova e destaca criatividade do povo baiano

» Dez andares de estrutura e foco na acessibilidade

» Gramado escolhido é o adequado para clima tropical

» Três tipos de assento e capacidade ampliada em megaeventos

» Cobertura "verde" e o pioneiro processo de "big lift"

» Quatro vestiários, área de aquecimento e torcida próxima

» Conheça os serviços e comodidades para torcedores

» Iluminação diferenciada para cada evento

» Da demolição ao funcionamento, opções ambientalmente responsáveis

» 227 câmeras para garantir tranquilidade nos eventos

» Equipamento multiuso e diversas "configurações"

» Antes e depois: compare imagens da construção com a arena finalizada

Gabriel Fialho – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+