Fonte Nova: equipamento multiuso e diversas "configurações"

05/04/2013 - 02:04
Praça sul servirá para montagem de palcos e comporta até oito mil pessoas em área coberta. Sistema de tecnologia da informação é essencial para operação e segurança do local

 #Clique na imagem para ver a cobertura<BR> completa da inauguração da Fonte NovaPensada para ser multiuso, a Fonte Nova pode abrigar diferentes tipos de eventos e de forma simultânea. A principal característica do projeto arquitetônico, a “abertura da ferradura”, voltada para o Dique do Tororó, é vista como um espaço privilegiado para espetáculos. Localizada no lado sul da arena, a área é um vão sem arquibancadas, pavimentada e coberta.

A “praça sul”, como é chamada a área, servirá para abrigar palcos de shows, o que dinamiza a montagem e desmontagem de megaestruturas sem prejudicar o gramado. A área ainda comporta de seis a oito mil pessoas, dependendo do formato do evento. A capacidade de 50 mil pessoas da arena poderá ser ampliada em mais 15 mil lugares com a utilização do campo.

“Podemos ter um modo de cobertura do gramado com segurança. No lounge VIP cabem duas mil pessoas. Temos uma área no lado norte, que a FIFA vai operar como lounge e pode ser operado como camarote. Tem um lounge no lado leste para 100 pessoas. A arena tem um formato que pode ser adaptado, onde parte da arquibancada se transforma num anfiteatro”, explica Frank Alcântara, presidente do consórcio da Arena Fonte Nova.

Além disso, o equipamento conta com área VIP, camarotes, espaço para restaurante panorâmico, espaço cultural e centro de convenções, que poderão abrigar reuniões, conferências e encontros de negócios. O objetivo, segundo Alcântara, é manter a arena em funcionamento o máximo de tempo possível, incentivando visitações mesmo em dias sem grandes eventos.

Erik Salles/BAPress#

Operação

Para manter a agenda cheia e auxiliar na gestão, a Fonte Nova Negócios e Participações, que possui a concessão da arena baiana pelos próximos 35 anos, contratou a empresa Amsterdam Arena, que administra o estádio do clube holandês Ajax, um dos primeiros do mundo a incorporar o conceito multiuso, e presta consultoria em mais de 20 países.

"A nossa segurança é a experiência da equipe e dos parceiros que trabalham conosco. Temos como parceiro na fase de projetos e testes a Amsterdam Arena, que já que inaugurou 42 arenas no planeta, além da experiência recente das arenas inauguradas no Brasil. Aprendemos o que eles aprenderam nas inaugurações, para não repetir as falhas. Faremos todo o possível para minimizar qualquer tipo de falha ", disse Alcântara.

Segundo ele, a operação deve mobilizar em torno de 1.800 pessoas. “É uma operação cuidadosa para garantir conforto e tranquilidade, o fluxo de entrada e saída, que o usuário seja bem atendido, tenha acesso aos sanitários, se alimente, que seja uma arena da família, que o usuário não venha apenas para o momento do jogo, mas que venha antes e saia depois, desfrute do local”, completa.

Gabriel Fialho - Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+
Estudo revela que a ocupação hoteleira na cidade bateu recordes, chegando a 72,26% no período do Mundial
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Cidade hospedou campeões mundiais durante a Copa do Mundo e recebeu legados como Centro de Treinamento e promoção da imagem local
+