Matéria da Folha de S. Paulo mostra comparação entre investimentos da Copa e gastos públicos com Educação

23/05/2014 - 11:30
Reportagem que ganhou manchete do jornal explica que valor previsto em obras ligadas ao Mundial representa 9% das despesas públicas anuais em Educação

Reportagem publicada nesta sexta-feira (23.05) no jornal Folha de S. Paulo faz uma comparação entre os investimentos realizados no Brasil para a Copa do Mundo da FIFA 2014 e o gasto público anual da pasta de Educação. O texto explica que a soma dos investimentos dos municípios, estados e União com obras ligadas ao Mundial representam 9% dos gastos públicos anuais em Educação, cerca de R$ 280 bilhões. A reportagem menciona também que parte do dinheiro gasto com o Mundial ainda retornará aos cofres públicos, já que quase metade dos R$ 8 bilhões investidos nas reformas e construções de arenas vem de financiamento federal que deve ser pago ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Custo da Copa equivale a um mês de gastos com educação

Despesa equivale ao custo de Belo Monte, maior obra financiada pelo governo

Mesmo mais altos hoje do que o previsto inicialmente, os investimentos para a Copa representam parcela diminuta dos orçamentos públicos.

Alvos frequentes das manifestações de rua, os gastos e os empréstimos do governo federal, dos Estados e das prefeituras com a Copa somam R$ 25,8 bilhões, segundo as previsões oficiais.

O valor equivale a, por exemplo, 9% das despesas públicas anuais em educação, de R$ 280 bilhões.Em outras palavras, é o suficiente para custear aproximadamente um mês de gastos públicos com a área.

A comparação deve ser relativizada porque haverá retorno, no futuro, de financiamentos. O Corinthians, por exemplo, terá de devolver os recursos que custearam o Itaquerão. Além disso, os gastos da Copa começaram a ser feitos há sete anos – concentrados nos últimos três.

» Confira a reportagem completa no site da Folha

Notícias Relacionadas

Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+
Principais emissores de turistas foram Argentina, Chile, Colômbia e Estados Unidos
+