Figueirense carimba a festa, mas Arena Corinthians impressiona COL e torcedores

18/05/2014 - 21:24
CEO do COL, Ricardo Trade afirmou que o teste no estádio da abertura da Copa foi um dos mais completos realizados

Foto: Getty Images#

Não foi como a massa corinthiana esperava. Entre os torcedores, as apostas sobre quem faria o primeiro gol da nova arena recaíam sobre Guerrero, Jadson... mas quem entrou para a história da Arena Corinthians foi Giovanni Augusto, jogador do Figueirense. O único gol válido da partida – a equipe visitante ainda teve um tento anulado – foi um balde de água fria na festa do bando de loucos. E água não só na expressão popular: a chuva completou a paisagem da tarde deste domingo, molhando parte da torcida sob a cobertura dos setores Oeste e Leste. Mas esse foi um dos poucos aspectos negativos mencionados pelos torcedores na avaliação do novo estádio, além do resultado. De forma geral, os 36.694 presentes aprovaram a estrutura da Arena Corinthians, e o Comitê Organizador Local (COL) também.

"Estamos bastante satisfeitos. É um orgulho imenso saber que o gramado está sensacional, o uso das novas tecnologias, a gente fica muito contente. Há muitas maravilhas, mas não são só maravilhas, tem ajustes. Tem coisa a acabar nas concessões, vimos algumas goteiras. Para nós foi um evento fundamental. Foi um dos melhores testes que a gente já realizou”, disse o CEO do COL, Ricardo Trade.

Fotos: Portal da Copa#Orientadores de público ajudaram torcedores a encontrar seus lugares

Quanto à cobertura, o responsável pela obra do estádio, Andres Sánchez, explicou que há 60% da arena coberta, mas que a substituição dos vidros pedida por ele não será feita a tempo para a Copa. Isso, entretanto, não fere as exigências da FIFA, segundo Ricardo Trade. “A FIFA não exige estádio 100% coberto. A arena está dentro do requerimento e não atrapalha a operação na Copa”, disse.

Os voluntários, que orientaram os torcedores na área externa e em diversas partes do estádio, foram um dos destaques do evento-teste, segundo o gerente geral de Integração Operacional do COL, Tiago Paes. Ele também mencionou a chegada das delegações, as operações de imprensa e os mecanismos de tecnologia da informação.

“A chegada dos ônibus ao estádio, para parar na frente do vestiário, pode parecer um detalhe pequeno, mas é muito importante. Outra área testada foi a de imprensa. Os jornalistas já se sentaram na tribuna e os fotógrafos foram posicionados no campo. Fizemos também testes de tecnologia, medições do som, vimos regulagens que precisam ser feitas, testamos nosso rádios, a comunicação da nossa equipe do piso 1 ao piso 10”, disse Paes.

Na área de imprensa, a internet ficou instável. Jornalistas e torcedores também tiveram problemas com a telefonia celular. “A internet para a imprensa não tem nada a ver com wi-fi, na Copa é cabeada, vocês (jornalistas) terão a melhor internet no mundo. Quanto à telefonia, quando tem aglomeração, é normal não dar conta. Em grandes eventos, é difícil você mandar muitas fotos no whatsapp, no facebook, mas não será demérito para nós”, explicou Ricardo Trade.

#Voluntários indicam os melhores caminhos: cena vai se repetir na CopaExperiência do torcedor

Os torcedores corintianos ficaram impressionados com o conforto que encontraram na nova arena do clube. As facilidades começaram no trajeto de ida ao estádio, principalmente para a maior parte do público que optou pelo transporte sobre trilhos, sejam os trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) ou pelo metrô.

Nas estações Artur Alvim e Corinthians-Itaquera, a sinalização indicava com clareza o caminho até o estádio. Se restasse dúvida, voluntários – tanto da FIFA quanto do Brasil Voluntário - munidos de megafones estavam a postos para ajudar.

O acesso foi feito sem sobressaltos. Foram criados pontos de triagem para que apenas torcedores com ingressos pudessem se aproximar do perímetro do estádio. Nas catracas, grades organizavam as filas.

#Limpeza dos banheiros foi um dos itens elogiados pelos torcedoresDentro da Arena, os torcedores encontraram os banheiros em boas condições – mesmo no intervalo da partida, quando o fluxo aumentou. Pôde-se ouvir muitos elogios e só uma crítica, que ressoava no banheiro feminino: não há espelhos no espaço das mulheres, o que frustrou algumas.

Alimentação

O serviço de lanchonetes também se saiu bem, na visão dos torcedores: as filas, apesar de longas, eram organizadas com a ajuda de voluntários da FIFA e o atendimento era relativamente rápido. Para diminuir a concentração de pessoas em frente aos bares, vendedores ambulantes também circulavam entre os torcedores.

No setor Oeste, houve um esforço para que os assentos numerados fossem respeitados. Havia sinalização e os orientadores ajudavam os que tinham dificuldade. Em outros setores, entretanto, não houve o mesmo rigor para que o público ocupasse as cadeiras marcadas em seus ingressos.

Momento histórico

“Achei que em vida não veria o Corinthians ter um estádio próprio, é uma coisa maravilhosa”, afirmou Jair Leite, de 74 anos. A alegria era compartilhada pelo filho Jeferson, que viu não só a primeira partida oficial do clube na arena como também estará presente na abertura da Copa, no dia 12 de junho. “Poucos têm o privilégio de estar aqui hoje e pouquíssimos terão o privilégio de estar na abertura. Mas hoje é mais importante”, comparou Jeferson.

Junto com eles estava o assistente de vendas João Ferreira, que é cadeirante. Ele se disse encantado com a proximidade do campo e afirmou não ter tido dificuldades em chegar até a área destinada às pessoas com deficiência. “A estrutura e o serviço, é tudo de melhor”, finalizou. Para todos eles, para a festa estar completa, só faltou o resultado em campo.

Foto: Getty Image#Guerrero cabeceia sem sucesso durante o jogo desta tarde: vitória foi dos catarinensesO jogo

Se a arena deixou boas impressões para os torcedores, o mesmo não pode ser dito do time de Mano Menezes. Contra a então pior equipe do Brasileiro – o Figueirense foi a São Paulo sem ter anotado um gol sequer nos quatro primeiros jogos -, o Corinthians viu o adversário estragar a festa planejada.

O gol da vitória catarinense foi marcado aos dois minutos do segundo tempo pelo meia Giovanni Augusto, que recebeu dentro da área e bateu cruzado para vencer o goleiro Cássio. O Corinthians pressionou, um tanto desorganizado, mas não conseguiu empatar.

“Eu sonhei com isso. Estou muito feliz. Na comemoração, tentei reunir meus companheiros, porque estamos numa situação difícil no campeonato”, contou o artilheiro da Arena Corinthians.

“Nós ficamos tristes por ter perdido a partida, mas estamos felizes por participar desse primeiro jogo no estádio”, disse o goleiro corinthiano Cássio. “Dos estádios (da Copa) que nós já jogamos, esse é o mais bonito. O vestiário é muito bom, todo equipado”, acrescentou.

Ex-jogador do Corinthians, formado na base do clube, o zagueiro Marquinhos, agora no Figueirense, foi outro que elogiou a estrutura dada aos atletas. “Conheço bem a região aqui, morei 17 anos num bairro próximo e treinei aqui nesse terreno. Um estádio desse nível nem o mais sonhador dos corinthianos esperava. Não deixa nada a desejar a nenhum outro”, disse.

O técnico do Figueirense, Guto Ferreira, exaltou a postura do time na partida, e avaliou a arena dentro do possível, tamanho o foco no resultado da partida. “ O campo é de qualidade, os vestiários são de qualidade, isso eu posso dizer”, disse.

O treinador do Corinthians, por outro lado, afirmou ter sido um privilégio viver o dia histórico na inauguração da arena, mas lamentou não ter conseguido a vitória “para que a festa fosse completa”. Ele também comentou a estrutura da Arena Corinthians. “Temos mais alguns preciosos dias pela frente, mas a arena já está muito adiante de outros lugares onde estivemos jogando. Ela é de um nível exemplar e vai estar preparada para a abertura da Copa do Mundo”, finalizou.

» Torcedores experimentam o Expresso Copa para chegar à Arena Corinthians

Carol Delmazo e Leonardo Lourenço – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Mais de dois mil itens, entre televisores, computadores e telefones celulares, serão entregues a 64 escolas das doze sedes, além de 26 organizações não-governamentais
+
No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Foi movimentado mais de um bilhão de reais na economia do estado, que recebeu 160 mil turistas estrangeiros e teve taxa média de ocupação hoteleira de 80%
+