ESPECIAL VIA MANGUE: Obra de mobilidade em Recife tira 900 famílias da vida em palafitas

19/03/2012 - 01:12
Desapropriações em função de obra de mobilidade para a Copa propiciam a moradores das comunidades Pantanal e Deus nos Acuda, em Recife, a saída de condições insalubres para apartamentos com sala, dois quartos, banheiro e cozinha

Fotos: Divulgação e Gabriel Fialho#Antes e depois: as palafitas e o condomínio Via Mangue“Qual o seu nome? Simone! Vulgo Simone, porque meu nome mesmo é Maria Aparecida da Silva”, respondeu à funcionária da prefeitura de Recife que cadastrava moradores vindos das comunidades Pantanal e Deus nos Acuda. “Uso Simone porque minha tia que cuidava de mim só me chamava assim, ela queria que esse fosse meu nome. Até gosto mais”, disse, na saída do apartamento térreo do conjunto habitacional Via Mangue, que serve temporariamente como escritório para o Executivo local entregar as chaves aos novos proprietários.

O novo conjunto, localizado no bairro do Pina, abrigará cerca de 900 famílias das duas comunidades, desapropriadas de uma área de mangue, dentro da capital pernambucana, por onde vai passar uma avenida com o mesmo nome do residencial. A via expressa vai interligar uma região hoteleira de Recife à zona central e está sendo construída para desafogar o trânsito. A obra está na Matriz de Responsabilidade para a Copa do Mundo e custará R$ 433 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal. 

Foto: Gabriel Fialho#Simone, líder comunitária, afirma que a mudança é "um sonho para muita gente"

“Fiquei como representante da Comunidade Pantanal. Quando o Felipe Cury, da prefeitura, viu que eu tinha contato com todos, disse: ‘Simone, você tem tudo para trabalhar dentro da sua comunidade”. Simone tenta caminhar pelo estacionamento entre os dez blocos de edifícios, mas a cada momento é chamada para conversas, pois organiza os detalhes da mudança. Um morador pergunta quando os quiosques, construídos em alvenaria no próprio conjunto e que vão ser usados pelos moradores que tinham comércio no antigo bairro, estarão disponíveis. Um funcionário da prefeitura explica onde ficarão as rampas de acessibilidade para cadeirantes.

No quarto andar do primeiro bloco, verde, Simone visita o apartamento de uma amiga beneficiada pelo projeto. O imóvel tem 40 m², com sala, dois quartos, banheiro e cozinha. Da janela do apartamento se vê a obra de um futuro shopping, o que traz a promessa de valorizar a área e gerar empregos. “Você está vindo para um local onde não tem rato, não tem barata, não tem mau cheiro da maré. É um sonho para muita gente mesmo”, comenta Simone.

Gabriel Fialho – Portal da Copa

LEIA TAMBÉM:
>> 900 operários, quase 5km de obras
>> Direito de uso passa para filhos e netos
>> Dos ratos ao teto de alvenaria

Notícias Relacionadas

BRT carioca teve seis novas estações inauguradas neste fim de semana e liga a Barra da Tijuca ao aeroporto do Galeão
+
Tarifa é de R$ 2,15 e os usuários que desejarem experimentar o novo modal poderão utilizar o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM)
+
Governo do DF divulgou balanço de ações para a Copa do Mundo. Investimentos em segurança, turismo, mobilidade urbana e aeroporto ficam para a cidade
+
Ministro do Esporte e secretário-executivo da pasta participaram do balanço final do evento, realizado no Rio de Janeiro
+