Entrevista: Cláudio Langone, coordenador da Câmara Temática de Sustentabilidade

10/12/2011 - 18:06
Segundo Cláudio Langone, há intensa participação das cidades-sede no debate, todas as arenas adotam práticas sustentáveis e a interação entre governo e entidades que organizam o Mundial ajuda a garantir os legados almejados. Langone também projetou os desafios no horizonte em 2012

Em entrevista ao Portal da Copa, o coordenador da Câmara Temática de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cláudio Langone, fez um balanço das atividades do ano. Segundo ele, as cidades-sede lançaram versões regionais da Câmara Temática de Meio Ambiente, as arenas adotam práticas sustentáveis e há uma interação intensa entre governo e entidades que organizam o Mundial para garantir legados. Langone também projetou os desafios no horizonte em 2012. Confira um resumo da conversa e veja a versão completa no vídeo acima.

Trabalho de 2011

Nós entramos em 2011 com as dez diretrizes brasileiras definidas e o primeiro grande passo foi a abertura de uma agenda extremamente positiva com a FIFA, que se desenrolou o ano inteiro. Os núcleos temáticos de projetos, os cinco (certificação de construção sustentável dos estádios, projeto Copa orgânica e sustentável, Parques da Copa, resíduos e reciclagem, mudanças climáticas), começaram a funcionar em maio e terminam o ano com agenda intensa, rumando para que em 2012 seja um ano para a implementação dos projetos.

Arenas sustentáveis

A Copa no Brasil vai ser a primeira em que todas as arenas vão ter um padrão de certificação de construção sustentável. E nós não estamos preocupados só em ter uma obra que incorpore elementos de sustentabilidade, mas temos uma preocupação  de ter práticas de gestão posterior, que dê sequencia a esse investimento. Uma grande parte do projeto de certificação está fundada na ideia de que haverá uma diminuição do custo médio de manutenção do estádio em aspectos importantes, como o uso de água, energias e outros.

Seminário sobre legado e sustentabilidade em Manaus

Foi a primeira grande discussão sistemática promovida pelo governo brasileiro sobre legado, com a presença de grandes especialistas, nacionais e internacionais. Pretendemos para março ou abril de 2012 promover  o lançamento do livro com a sistematização desses relatos e experiências que foram apresentadas em Manaus. Achamos que essa publicação vai se tornar uma referencia única em termos de discussão sobre legado.

Interação com organizadores

A câmara se consolidou como um canal de organização do governo brasileiro para a agenda de sustentabilidade e a FIFA, em minha opinião, identificou na câmara um canal para tratar dos temas de sustentabilidade com o conjunto de atores governamentais envolvidos no processo de organização da Copa do Mundo.

Então, essa agenda com a FIFA, que teve início no seminário das cidades-sede, em fevereiro, e terminou com a presença do diretor de responsabilidade social na oficina de arenas, realizada em dezembro, em Brasília, tem um balanço extremamente positivo. Mais do que isso, tem uma tradução objetiva: a FIFA incorporou ao seu planejamento estratégico para a área de sustentabilidade as grandes linhas definidas pelo governo brasileiro. A incorporação pela FIFA e pelo COL dessas iniciativas é uma agenda trabalhada em conjunto.

Rio + 20 e a Copa

Tivemos no fim deste ano a assinatura do acordo de cooperação com o programa das Nações Unidas para o meio ambiente. Em fevereiro começa a agenda de trabalho efetivamente e isso vai ser super importante no momento em que nós vamos estar às vésperas da realização da Rio + 20 no Brasil. Nós já tivemos uma manifestação muito efetiva do diretor geral do PNUMA, que é o coordenador geral da Rio + 20, de interesse em criar uma sintonia forte entre a agencia de sustentabilidade da Copa e o processo de construção da Rio + 20.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+
Cooperativas de catadores atuaram nos 12 estádios do Mundial para a recuperação e separação dos resíduos deixados pelos torcedores durante os jogos
+
Na arena Castelão, foram 49,4 toneladas, enquanto na Fan Fest foram outras 41,4 toneladas. Atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições
+