Em Brasília, Exército simula ataque terrorista com contaminação química e radiológica

09/06/2014 - 23:16
Treinamento teve a participação dos Bombeiros, do Samu, da Defesa Civil e da Comissão Nacional de Energia Nuclear

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil#Simulação envolveu 150 figurantes das corporações envolvidas na ação de defesa em caso de contaminação química e radiológica

O Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, foi palco de um treinamento antiterrorismo nesta segunda-feira (9.06). No estacionamento da arena, o Exército coordenou um exercício de simulação de ataque com contaminação química e radiológica. Ao longo de uma hora, vítimas contaminadas – figurantes – foram retiradas do estádio, receberam atendimento inicial de urgência e foram encaminhadas para um posto de descontaminação.

Participaram da atividade 150 integrantes da corporação, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, da Defesa Civil do DF, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do DF (Samu) e da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Caberá ao Exército o monitoramento de produtos químicos e radiológicos no Mané Garrincha.

Durante a Copa, haverá oficiais da corporação e uma estrutura móvel dentro da arena. Os equipamentos utilizados no treinamento ficam armazenados no Colégio Militar de Brasília, a 500 metros do estádio, sob a supervisão de uma tropa de prontidão. São usados apenas em caso de necessidade. O tempo do deslocamento e da montagem dos equipamentos é de 30 minutos.

De acordo com o oficial de ligação de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Comando Militar do Planalto, o capitão André Luiz Bifano da Silva, a simulação foi bem sucedida. “Estamos fazendo ajustes finais. Cada organização participante tem sua expertise. Mas conseguimos trabalhar de maneira harmoniosa e integrada”, afirma o militar. 

Efetivo na Copa

Os 3,9 mil militares das Forças Armadas que trabalharão na Copa do Mundo em Brasília estão concentrados para o evento desde domingo (7.06). O efetivo terá à disposição 350 viaturas de diversos tipos – blindadas, mecanizadas, antiaéreas de transporte de tropas e outras – e 204 cavalos. Na sexta-feira (13.06), começará o período de prontidão. As tropas serão desmobilizadas em 14 de julho, um dia após a final do Mundial.

Eixos

A segurança da Copa é dividida em três eixos. As Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) são responsáveis pelo Eixo Defesa. Os outros dois são Segurança (Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, que inclui os órgãos de segurança) e Inteligência (Agência Brasileira de Inteligência e Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República).

O Eixo Defesa abrange as áreas de contraterrorismo, comando e controle, defesa aeroespacial, defesa da área lacustre, defesa cibernética, defesa de estruturas estratégicas, emprego de helicópteros, fiscalização de explosivos, forças de contingência, escolta de dignatários e defesa química, biológica, radiológica e nuclear.

Renato Freire, do Portal da Copa em Brasília

Notícias Relacionadas

No período do Mundial, a capital federal recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 brasileiros e 143.743 estrangeiros. Números superaram as estimativas iniciais
+
Ainda foram usadas 2.667 viaturas e 481 motos. Na defesa aeroespacial foram 114 ações, além de outras 5.303 de defesa naval
+
Estrangeiros e brasileiros de outras partes do país visitam marcos arquitetônicos da capital federal
+