Copa das Confederações terá 15 mil agentes privados de segurança

08/11/2012 - 16:39
Profissionais terão cursos de capacitação para se adequar ao modelo já utilizado em Copas passadas

Gabriel Fialho/ Portal da Copa#A Copa das Confederações terá 15 mil agentes privados de segurança. São esses profissionais que cuidarão do conforto e da resolução pacífica de conflitos nos seis estádios que abrigarão os jogos do torneio. Eles trabalharão em conjunto com as forças públicas, que são as responsáveis pelos casos de polícia. Quem explicou o modelo usado nas competições organizadas pela FIFA foi o gerente-geral de Segurança do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014, José Hilário Medeiros, durante a I Conferência Internacional de Segurança para Grandes Eventos.

Steward é um modelo antigo, que é muito usado na Europa. O Brasil ingressa nesse novo conceito com as estruturas das arenas multiuso. Esses agentes vão trabalhar dentro do perímetro do estádio na questão do conforto do torcedor e na resolução pacífica de conflitos. O que for ação de polícia é exclusivamente responsabilidade dos órgãos de segurança pública”, disse.

Na entrada das arenas, o torcedor passará por um aparelho detector de metais, igual ao já utilizado nos aeroportos brasileiros, e haverá uma checagem visual dos ingressos. Em seguida, haverá a passagem pelas catracas com a detecção da validade dos bilhetes e com inspeção das pessoas, para saber se não está entrando nenhum torcedor com histórico de violência, processo feito com tecnologia digital.  Esse trabalho será feito pelos stewards, que também são capacitados a dar informações às pessoas, direcioná-las aos assentos, acionar serviços de emergência em saúde e a polícia.

Para Medeiros, o novo modelo das arenas em construção no país contribui para o controle dos torcedores, com instalações mais confortáveis, melhores acessos e monitoramento. Segundo ele, o Brasil já conta com mão de obra suficiente e capacitada para atender às necessidades dos grandes eventos. “Nós temos mão de obra qualificada e são quase 600 mil agentes de vigilância no país. O que faremos é um curso de extensão de 50 horas, fiscalizado e regulamentado pela Polícia Federal e executado pelas empresas de segurança”.

O representante do COL explica que os agentes de segurança também trabalharão para recepcionar as delegações de jogadores e de representantes e parceiros da FIFA nos aeroportos, hotéis e centros de treinamento. Por isso, o trabalho envolverá outras cidades além das sedes da Copa do Mundo. Serão 30 mil agentes privados durante a competição de 2014.  “Nós temos as 12 sedes do Mundial, mas não quer dizer que as seleções façam a preparação nessas cidades. Quando uma equipe chega, a mídia vai acompanhá-la, há o apelo da população. Então, é preciso uma atuação também nesses locais”.

» Secretário de Segurança para Grandes Eventos destaca integração das forças públicas como legado da Copa
» Ministros destacam legado dos megaeventos em conferência internacional de segurança
» Polícia Federal exigirá curso de formação específico para vigilantes atuarem na Copa

Gabriel Fialho – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Jogo é o último compromisso da Seleção Brasileira antes da estreia na Copa das Confederações, no próximo sábado, diante do Japão
+
Para os treinadores de Santos e Flamengo, arena de Brasília está à altura dos megaeventos esportivos. Sobre a transferência do ídolo santista, Jorginho e Muricy entendem que intercâmbio com craques do Barcelona será benéfico para o crescimento do futebol do atleta
+
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais realizou resgate de 150 "vítimas", em ação preparatória para a Copa das Confederações
+