Campanha contra exploração sexual infantil na Copa do Mundo é lançada em Brasília

24/03/2014 - 19:02
Principal alvo será o setor turístico, com trabalho de conscientização em locais como aeroportos, hotéis, restaurantes e táxis

André Borges/ComCopa#Proteger os direitos de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo e sensibilizar a população sobre a importância da denúncia. Esses são os objetivos da campanha internacional contra a exploração sexual infantil “Não desvie o olhar”, lançada nesta segunda-feira (24.03) em Brasília. A ação envolve todo o Brasil, especialmente as 12 cidades-sede dos jogos, além de 19 países da Europa e África.

A campanha vai conscientizar as pessoas sobre a gravidade dos crimes e incentivar a denúncia. As mensagens, em português, inglês e espanhol, serão focadas no setor turístico. Banners e panfletos serão afixados e distribuídos em locais como aeroportos, restaurantes, hotéis, táxis, pontos de ônibus e agências de viagens, além de ambientes com grande circulação de pessoas. Os jogadores Kaká e Juninho Pernambucano são os astros da campanha, que também será divulgada em outdoors e busdoors.

Representando a Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, o coordenador-geral das Políticas de Fortalecimento dos Conselhos Tutelares, Marcelo Nascimento, elogiou a ação e reforçou a importância das denúncias. “A população pode denunciar de forma anônima todas as suspeitas, mesmo que haja uma pequena dúvida. Temos uma rede de direitos humanos que fará essa investigação”, informou.

No Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, onde serão realizadas sete partidas da Copa do Mundo, o slogan “Não desvie o olhar. Denuncie. Disque 100” será exposto em banners, panfletos e nos telões. “Isso é um exercício da cidadania. Precisamos que haja essa consciência da população, dos torcedores e dos turistas, tanto internacionais quanto brasileiros, de que exploração sexual infantil é crime e não será tolerada aqui”, afirmou o secretário Extraordinário da Copa, Claudio Monteiro.

Brasília criou o Comitê de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente para os Grandes Eventos, formado por secretarias, órgãos do governo e entidades da sociedade civil. Em 2013, os Conselhos Tutelares do DF registraram 11.908 denúncias de violações aos direitos de crianças e adolescentes. Desse total, 1.840 envolveram violência sexual. Em todo o Brasil, foram 275.638 ligações para o Disque 100, sendo 27.664 com alertas sobre exploração sexual.

Serviço

Para denunciar a exploração sexual de crianças e adolescentes, basta discar 100. A denúncia também pode ser feita nos Conselhos Tutelares e na Coordenação do Sistema de Denúncias de Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cisdeca), da Secretaria da Criança do DF, no telefone (61) 3234-2876.

A ligação é gratuita e a denúncia é anônima. As duas Centrais de Atendimento funcionam todos os dias da semana, 24 horas por dia.

Fonte: Governo do Distrito Federal

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+