Governo Federal apresenta balanço de ações para a Copa do Mundo

14/07/2014 - 17:58
Presidenta e ministros detalharam como investimentos em turismo, segurança, telecomunicações, mobilidade, aeroportos e saúde funcionaram durante o Mundial

Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR#

Um milhão de turistas estrangeiros acolhidos, com 95% deles revelando intenção de retornar ao país. Três milhões de turistas nacionais. Um fluxo de 16,7 milhões de passageiros nos aeroportos, com taxas de atrasos abaixo das médias internacionais. Um contingente de 3,4 milhões de pessoas no estádios com outras 5 milhões de pessoas nas Fan Fest. Na segurança, um efetivo de 177.002 profissionais de segurança pública, defesa e inteligência. Esses foram alguns dos números apresentados pelo governo federal durante balanço de ações de organização da Copa do Mundo da FIFA 2014. 

A presidenta Dilma Rousseff e os ministros de Estado traçaram, no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICC), em Brasília, um panorama de como os investimentos tiveram repercussão durante o evento e o que ficará de legado para o país. Segundo a presidenta, os dados indicam que o Brasil demonstrou que estava capacitado para assegurar infraestrutura, segurança, telecomunicações e tratamento adequado aos turistas, às seleções e aos chefes de Estado que compareceram ao evento.

» Durante as 64 partidas, foram enviadas 48,5 milhões de fotos

» Segurança: trabalho integrado de um efetivo de 177 mil pessoas

» Aeroportos registram 16,7 milhões de passageiros durante a Copa

» Brasil recebeu um milhão de turistas estrangeiros, de 203 nacionalidades

» Apenas 0,2% dos torcedores da Copa precisaram de cuidados médicos

» Presidente da FIFA diz que Copa de 2014 merece nota 9,25

» Copa tem 171 gols e iguala maior marca da história do torneio

"Nós vivemos, nesses dias, uma festa fantástica. Mais uma vez, o povo brasileiro revelou toda a sua capacidade de bem receber. Mais uma vez, os brasileiros, aí incluídos o governo federal, os governos estaduais nas 12 cidades-sede, os prefeitos das 12 cidades-sede e , sem sombra de dúvida, os torcedores e todos os amantes do futebol, asseguraram uma festa que eu tenho certeza é, sem dúvida, uma das mais bonitas do mundo", destacou.

Para a presidenta, foram superados prognósticos negativos sobre a competição, que previam a não conclusão de arenas e a falta de capacidade dos aeroportos para receber os turistas. "A gente dizia que ia ter a Copa das Copas. Tivemos a Copa das Copas. Tivemos, sem tergiversar, um problema que foi a nossa partida, nosso jogo com a Alemanha. No entanto, acredito que tudo na vida é superação. (...) Derrotamos, sem dúvida, essa previsão pessimista e realizamos, com imensa e maravilhosa contribuição do povo, essa Copa das Copas", afirmou.

Segurança

Por meio da integração das forças policiais dos estados, da União e das Forças Armadas, o País empregou o maior efetivo de profissionais já contabilizados em um evento esportivo. Foram mais de 177 mil agentes e um investimento de R$ 1,19 bilhão para aquisição de equipamentos e realização de capacitações. Foram criados 15 Centros Integrados de Comando e Controle (12 regionais, dois nacionais e um Centro de Cooperação Policial Internacional). Os estados receberam 27 Centros de Comando e Controle Móveis (caminhões equipados para atividades de monitoramento), além de 12 imageadores aéreos (equipamentos instalados em helicópteros, capazes de captar e transmitir imagens em tempo real para os centros de controle), robôs para detonação de explosivos e 36 plataformas de observação elevadas (com 12 câmeras de alta resolução capazes de captar, tratar e transmitir imagens). Durante todo o período do Mundial, os 15 Centros Integrados funcionaram 24 horas. Toda a estrutura ficará, a partir de agora, para as sedes. 

Acompanhamento

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou que sempre teve uma visão otimista das potencialidades brasileiras. "Isso não se baseava apenas na fé e na confiança no país. Nós tínhamos um rigoroso acompanhamento das obras nos estádios. Controlávamos todos os momentos da execução de cada estádio. A cada três meses desde a Copa das Confederações eu visitava cada uma das cidades-sede, depois as visitas passaram a ser mensais. Com tudo isso nós tínhamos uma margem de segurança do que estava sendo feito", afirmou. "A Copa do Mundo como evento esportivo é um sucesso. Recebeu elogios de todos os técnicos, desde o vitorioso da seleção da Alemanha até técnicos de seleções que não se classificam na primeira fase, como Fabio Capello, da Rússia", completou. 

Para o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, o legado da Copa terá efeito duradouro para a imagem do Brasil no exterior. "Somos um dos poucos países capazes de organizar um evento de tamanha complexidade, com qualidade de infraestrutura e organização, e com um povo maravilhoso que acolheu muito bem a todos”, afirmou Luiz Alberto Figueiredo.

"Se a gente fizer uma análise um pouco mais sóbria, perdemos a taça, mas o Brasil ganhou a Copa. O Brasil soube ganhar, soube perder, soube receber, soube celebrar com paz, com respeito, um clima altamente receptivo que encantou o mundo. Essa celebração do futebol mundial ficará para sempre na memória e imagem do que nós somos enquanto povo e sociedade", disse o ministro chefe da Casa Civil, Aloísio Mercadante.

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Mundial de futebol quebrou recordes históricos e se tornou o evento mais comentado do ano nas redes sociais em todo o mundo
+
Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Evento “Copa 2014: legados para o Brasil” mostra resultados econômicos, culturais e de infraestrutura
+