Blatter dá 9,25 ao Mundial do Brasil e agradece ao governo e ao povo brasileiro

14/07/2014 - 14:23
Presidente da FIFA também destacou o alto nível do futebol desta edição da Copa. CEO do Comitê Organizador Local, Ricardo Trade, exaltou o sucesso da organização do torneio

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, deu a nota de 9,25 à Copa do Brasil. Na coletiva de imprensa desta segunda-feira (14.07), no Rio de Janeiro, ele falou que “a perfeição não existe”, mas fez um discurso de gratidão pela realização do Mundial de 2014.

“Agradeço ao povo brasileiro, ao Governo Federal e à senhora presidenta Dilma Rousseff, aos governadores e prefeitos, ao COL, ao ministro do Esporte, Aldo Rebelo e seu parceiro (Luis Fernandes, secretário executivo da pasta). A todos, muito obrigado por todo o trabalho”, disse Blatter.

Ele falou que se sente duplamente feliz: como presidente da FIFA, pela oportunidade de visitar todas as sedes e estádios, e como amante do futebol, pelos espetáculos dentro de campo. Blatter disse que a Copa do Brasil foi muito especial pela qualidade do futebol apresentado, com partidas intensas e propostas ofensivas. O Fair Play também foi citado como destaque.

"Houve menos contusões. Ouvi críticas aos árbitros por não estarem usando os cartões amarelos. Mas se você olhar os resultados, houve menos lesões, mais intensidade no jogo, paixão. Cada Copa tem sua própria história, mas essa no campo de jogo foi excepcional".

Blatter disse, contudo, que não está totalmente satisfeito com a luta contra o racismo e que já está tratando o tema com as autoridades russas para que as ações contra a discriminação se intensifiquem. O presidente da FIFA citou mensagem enviada pelo Papa Francisco, que é argentino.

“Recebemos, nesta manhã, uma mensagem do Papa Francisco. Ele não ficou tão feliz (com o resultado), mas ele disse que foi uma Copa do Mundo fantástica, conectando as pessoas. E essa foi a ideia”, reforçou.

» No balanço final, ministro do Esporte destaca sucesso da Copa do Mundo no Brasil

Getty Images#

Orgulho da organização

O CEO do Comitê Organizador Local (COL), Ricardo Trade, destacou o trabalho conjunto realizado pelas cidades, estados, Governo Federal, COL e FIFA, agradeceu o empenho dos voluntários e exaltou o sucesso do Mundial fora de campo.

“Não houve a  crise apregoada que teríamos nos aeroportos,  na comunicação. Sentimos orgulho de termos participado desse projeto. Fora do gramado, podemos bater no peito com orgulho e podemos dizer que, além da celebração ímpar que o país é capaz de fazer, foi um sucesso também na organização”, disse Trade.

Rússia 2018

Na  entrevista coletiva, o presidente da FIFA colocou em questão o número de sedes para a Copa de 2018, que está planejada com 12 estádios em 11 cidades russas.

“Tudo está sendo analisado para que a escolha seja razoável. Para não ter problemas , teremos reuniões, que vão começar em setembro, junto ao Comitê Organizador Local, para definir se as cidades foram escolhidas corretamente. O importante é garantir que o investimento que será feito permanecerá como um legado, e não como uma dívida”, disse.

Independentemente da discussão sobre as sedes, o CEO do Comitê Organizador da Rússia, Alexey Sorokin – o Ricardo Trade de 2018 -, disse que houve muito aprendizado durante o acompanhamento in loco da Copa de 2014 e que surpresas virão para a próxima edição do torneio.

“Hoje é um dia muito importante para nós, marca um novo ciclo. Estamos trabalhando muito, e posso lhes garantir que, acima de todas as promessas que já foram feitas e de todas as obrigações que nós assumimos, nós teremos muitas surpresas para vocês e muitos tesouros que queremos  compartilhar com vocês. Quem for para a Rússia não vai se arrepender”, disse.

Carol Delmazo - Portal da Copa

 

Notícias Relacionadas

Secretário executivo do Ministério do Esporte afirma que o aprendizado adquirido com o Mundial dará melhores condições para o Brasil enfrentar os desafios da preparação do maior evento esportivo do planeta
+
Os legados esportivos, econômicos, de infraestrutura, de imagem e promoção do Brasil, dentre outros, serão abordados nos dois dias de palestras
+
Estruturas como o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, usado no Mundial, foram empregadas na competição de vela que está sendo realizada no Rio de Janeiro
+