Castelão recebe Certificação LEED, que atesta ações de sustentabilidade na construção do estádio

05/12/2013 - 16:38
Arena é a primeira da América do Sul a conquistar o selo. Durante a obra, foram adotados critérios de eficiência energética e utilizados equipamentos que promoveram redução de impactos ambientais

Primeiro estádio a ser concluído para a Copa do Mundo da FIFA 2014™, a Arena Castelão é também a primeira da América do Sul a receber a Certificação Ambiental LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), desenvolvida pelo Conselho Americano de Edifícios Verdes (Green Building Council–USGBC).

Durante a obra, a Arena seguiu critérios de sustentabilidade e eficiência energética, com adoção de medidas e equipamentos que promoveram redução de impactos ambientais, como o reaproveitamento de estruturas já existentes. Após inauguração, o espaço continua investindo na área, com a utilização de louças com menor consumo de água e descargas a vácuo, que contribuem para a redução do consumo de água potável.

“A certificação atesta que o projeto e a obra foram concebidos de forma a permitir uma operação sustentável e eficiente. A expectativa é que o estádio sirva de referência para outros prédios públicos no que diz respeito à gestão dos recursos ambientais durante a construção e também durante a operação do edifício”, afirma o arquiteto David Douek, diretor da OTEC – consultoria que atuou junto à equipe de projeto e obra para alcançar a certificação ambiental LEED.

Na categoria ‘Sítios Sustentáveis’, o empreendimento atendeu a diversos critérios, com destaque para o transporte público, que conquistou performance exemplar. O complexo é servido por quatro linhas de ônibus, que ultrapassam a frequência mínima de 200 viagens. Os dois pontos mais próximos às entradas podem ser acessados a pé num percurso de 400 metros.

O projeto cuidou também de fornecer 5,1% de vagas preferenciais do total ofertado, para veículos que utilizam combustível alternativo. Também foram fornecidas 5,42% de vagas preferenciais do total para veículos que fornecem carona. A totalidade das vagas do empreendimento para o Mundial 2014 está em estacionamento coberto, o que atende às providências para evitar o efeito “ilha de calor” no piso. O mesmo vale para a cobertura do complexo, que tem 103,63% de sua superfície de acordo com o índice mínimo de refletância solar solicitado pelo LEED. 

Consumo eficiente de água

A redução do consumo de água potável para manutenção do complexo foi de 67,61%, conquistados apenas com a utilização de metais e de tecnologias economizadores. O valor é a média dos resultados obtidos pelas edificações.

No quesito “Tecnologias inovadoras para controle de efluentes”, foi comprovada a redução de 71,94% no volume de água potável direcionada para a rede de esgoto.

Energia e Atmosfera

O complexo do Castelão empregou sistema de condicionamento de ar que não utiliza gases refrigerantes a base de CFC (clorofluorcarbono), responsáveis pela destruição da camada de ozônio.

O atendimento do crédito de otimização do desempenho energético foi alcançado com redução comprovada de 12,7% do consumo anual de energia - média do valor obtido por ambos os edifícios.

Materiais e Recursos

Para atender o pré-requisito de “Estocagem e Coleta de Recicláveis”, foram construídas centrais de resíduos, apropriadamente dimensionadas para armazenamento de resíduos reciclados incluindo papel/papelão, plástico, vidro e metal, com frequência de coleta adequada.

O quesito “Gerenciamento dos resíduos de obra” pedia que fossem desviados 50% dos aterros. Durante a obra do complexo, 97,07% dos resíduos gerados foram desviados dos aterros sanitários, sendo reutilizados e/ou reciclados. 

O uso de madeira certificada, considerado prioridade regional para o Brasil, alcançou 92,92% de certificação pelo FSC em relação a toda a madeira permanente utilizada no empreendimento.

Qualidade ambiental no interior do edifício

O empreendimento atendeu a exigência de controle da fumaça do tabaco, com a implantação de política de proibição de fumo em todas as áreas internas do complexo e nas externas, à distância mínima de 8 metros de todas as entradas e tomada de ar dos edifícios.

No quesito “Materiais de baixa emissão”, 100% das colas e selantes e das tintas e revestimentos utilizados internamente atendem aos limites de compostos orgânicos voláteis (COV) padronizados.

A exigência de controle dos sistemas de iluminação foi avaliada individualmente: na Secretaria de Esportes, a totalidade das estações de trabalho individuais e dos espaços compartilhados (multi-ocupantes) possui controles de iluminação; no Estádio Castelão, 97,44% das estações de trabalho individuais e 100% dos espaços compartilhados (multi-ocupantes) possuem controle de iluminação.

Foi desenvolvido um sistema de monitoramento assim como um processo de ações corretivas para garantir o conforto térmico dos usuários.

Ações Sustentáveis

» Usina de reciclagem para reutilização de todo concreto durante a obra

» Implantação de um lava-rodas de caminhões, evitando sujeira no entorno da construção e desgaste do solo

» Parte metálica da cobertura, bem como a estrutura de aço do que foi demolido, separado e destinado para reciclagem

» Materiais em bom estado de conservação foram doados (cadeiras, placares eletrônicos, gramado, cobertura dos bancos de reserva, entre outros)

» Reaproveitamento da água da chuva para irrigação do gramado e para sanitários

» Utilização de louças com menor consumo de água e torneiras com temporizadores    

» No estacionamento, a Arena conta com espaços reservados para carona solidária, carro com combustível renovável e bicicletário para funcionários

Fonte: Secopa  Ceará

Notícias Relacionadas

Estádio de Natal é o nono dos utilizados durante a Copa a obter o selo
+
Arena é a sétima construída para a Copa do Mundo a ter selo que atesta adoção de medidas sustentáveis na edificação. Capital gaúcha passa a ter dois palcos com registro do Green Building Council
+
Cooperativas de catadores atuaram nos 12 estádios do Mundial para a recuperação e separação dos resíduos deixados pelos torcedores durante os jogos
+
Na arena Castelão, foram 49,4 toneladas, enquanto na Fan Fest foram outras 41,4 toneladas. Atividade envolveu 350 catadores de 17 instituições
+