Ansioso para "desfrutar" a Copa, treinador de Portugal conta com o apoio da torcida brasileira

20/02/2014 - 12:53
Paulo Bento diz que lusitanos se sentirão em casa durante o Mundial. Delegação chega a Campinas no dia 11 de junho

 

Com estreia marcada para o dia 16 de junho, às 13h, em Salvador, diante da Alemanha, Portugal chegará a Campinas, base de preparação dos lusitanos para a Copa do Mundo, no dia 11 de junho. E o técnico Paulo Bento espera contar com o apoio da torcida para fazer uma boa campanha no Mundial.

“São dois países que se dão bem há muitos anos, não só pelo idioma, mas têm laços há muitos anos e não tenho dúvidas que Portugal estará no Brasil como se estivesse em sua casa, que será uma seleção acarinhada, que será uma seleção apoiada. Sabemos que os brasileiros em primeiro lugar vão apoiar a sua seleção, como é óbvio e natural, e que nós seremos uma seleção que seguramente se sentirá bem nesse país que nós tanto gostamos e que no fundo também tanto gosta de nós”, afirmou o treinador português durante o Seminário de Seleções da FIFA em Florianópolis.

Danilo Borges/Portal da Copa#Segundo Paulo Bento, o carinho dos brasileiros com os portugueses já é notado em Campinas. A delegação de Portugal escolheu o Centro de Treinamento da Ponte Preta e ficará hospedada no The Palms Hotel. ”Até agora estamos extremamente satisfeitos com aquilo que encontramos, extremamente satisfeitos com o carinho que as pessoas nos tem dado e a disponibilidade e as condições que as pessoas nos tem apresentado e completamente convictos de que vamos chegar em junho ao Brasil com as melhores condições”, afirmou Bento.

Para escolher o local que servirá como base de preparação de Portugal para a Copa, os lusitanos levaram em conta a distância do hotel para o Centro de Treinamentos e o aeroporto e também as condições de acomodação do hotel. Além de Salvador, Portugal jogará em Manaus (no dia 22, contra os Estados Unidos) e em Brasília (dia 26, diante de Gana), mas as longas viagens não serão um grande problema, de acordo com Bento.

“É natural que, com quatro dias de distância entre um jogo e outro e com viagens prolongadas, haja uma fadiga maior do que com mais dias de descanso e com viagens menos prolongadas, mas no fundo é o que se encontra ao longo do ano também. Os jogadores nas suas equipes também fazem jogos com intervalos de tempo menores durante a temporada”, minimizou.

Com o objetivo inicial de passar às oitavas de final, Paulo Bento já tem a receita para que Portugal faça uma boa campanha no Mundial. “Nós viemos para essa competição - onde nós queríamos muito estar e acho que estamos com todo o mérito -, acima de tudo com uma ambição tremenda. Uma competição como essa acontece muito poucas vezes na vida das pessoas, na vida de alguns jogadores, na vida de alguns treinadores, e por isso o que há a fazer é aproveitar ao máximo, desfrutar dessa competição, nos prepararmos da melhor maneira, sermos sérios e tentarmos competir da melhor maneira possível”, resumiu.

Técnicos portugueses

No Mundial do Brasil, Paulo Bento terá a companhia de dois conterrâneos. Os também portugueses Fernando Santos e Carlos Queiroz vão comandar as seleções da Grécia e do Irã, respectivamente. Para Bento, a competência dos técnicos lusitanos está expressa não apenas no número de colegas que vai à Copa, mas também nas principais ligas e campeonatos do mundo. “Penso que Portugal tem excelentes treinadores. Não é só por ter três no Mundial, mas também por aquilo que outros treinadores fazem no seu próprio campeonato, em grandes equipes que estão espalhadas por essa Europa afora e pelo mundo afora. Isso é sinal de competência”, avaliou.

Mateus Baeta - Portal da Copa
 

Notícias Relacionadas

Após eliminação, técnico africano lamenta as oportunidades perdidas e treinador português assume a culpa
+
Melhor jogador do mundo fez um na vitória por 2 x 1. Africanos também estão fora
+
Em duelo marcado por polêmicas extra-campo, europeus e africanos torcem por vitória alemã. Um empate em Recife desclassifica os dois times em Brasília
+
Português enfrentou o Brasil em 2008 e perdeu por 6 x 2 no Bezerrão. Ele será o terceiro da lista dos melhores da FIFA a jogar no Mané Garrincha nesta Copa
+