Amor pela seleção faz chileno superar obstáculos de doença degenerativa para vir ao Brasil

23/06/2014 - 11:30
Com o apoio da família, Jorge Machicao - que sofre de esclerose lateral amiotrófica - veio aproveitar a Copa no país. Família está satisfeita com o apoio recebido no Rio e em São Paulo

Carol Delmazo/ Portal da Copa#

O mar vermelho já tomava conta dos arredores da Arena Corinthians, quando uma van da prefeitura de São Paulo parou diante do estádio. Desceram três crianças e três adultos. Um pouco depois, desceu Jorge Machicao, na cadeira de rodas. No colo, uma imensa bandeira do Chile. O carro é adaptado e foi essencial para que ele conseguisse chegar ao estádio.

Quando já estava na calçada, Patricia, a esposa, abriu o agasalho dele, e a camisa vermelha também pôde ser vista. Os chilenos em volta aplaudiram. Jorge tem uma doença degenerativa chamada esclerose lateral amiotrófica, a mesma que acomete o físico britânico Stephen Hawking. O diagnóstico veio em 2008.

Jorge saiu de Santiago com a mulher, os três filhos – Romina, Lorenzo e Marcela – e com os amigos Poncho e Marcela. Não fala, não anda, mas sabe demontrar como ninguém seu amor pela seleção de seu país. A confiança está no olhar. “Vão ganhar hoje da Holanda?”, pergunto, em espanhol. Com três piscadas, ele me dá resposta.

“A dificuldade não o deixa em casa”, disse Patricia Machicao. A historiadora contou que é a primeira vez que eles acompaham o time nacional fora do Chile. Estiveram no Rio, testemunharam a vitória sobre a Espanha por 2 x 0, em 18 de junho, no Maracanã. Chegaram a São Paulo na mesma empolgação. E estão muito satisfeitos com o tratamento recebido até agora.

“Todos nos ajudaram muito com Jorge, tanto no Rio quanto aqui. Tudo está muito organizado, e as pessoas são muito gentis e amáveis. Estamos muito felizes”, afirmou.

Depois de São Paulo, o futuro da família no Brasil é incerto. Se o Chile ganha da Holanda na partida de logo mais, eles podem ir para Fortaleza. O segundo lugar leva a turma para Belo Horizonte. Mas o que querem mesmo é voltar para o Maracanã no dia 13 de julho. “O Chile está ganhando, vamos sair daqui campeões”, disse Lorenzo, o filho mais novo.

Mais algumas piscadas de Jorge, mais uma demonstração de confiança. E a famlília entrou no estádio para mais um grande jogo da Copa do Mundo da FIFA 2014.

Carol Delmazo – Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Equipamentos substituem luminosidade do sol, favorecendo a germinação da grama
+
Estádio da abertura da Copa já rendeu R$ 6,8 milhões aos cofres corintianos, enquanto em 11 partidas como mandante neste ano, fora de Itaquera, o clube arrecadou R$ 3,2 milhões
+
Aeroportos, segurança pública e atrativos turísticos têm mais de 80% de aprovação entre os profissionais de imprensa
+
Ao todo, 1,6 milhão de passageiros passaram pelos terminais entre 10/6 e 13/7. A cada 10 passageiros que desembarcaram no país, um passou pela capital
+