500 dias para a Copa: ministro Gastão Vieira comenta avanços no Turismo

27/01/2013 - 23:53
"A Copa tem muito a ver com o Ministério do Turismo quando o último jogo acabar. A partir daí temos de manter os hotéis construídos com um nível de ocupação que faça com que o empresário consiga ter retorno"

No “esquema tático” do governo federal para a Copa do Mundo da FIFA 2014, cabe ao Ministério do Turismo uma tarefa em quatro frentes. Primeiro, garantir que turistas brasileiros e estrangeiros tenham condições de hospedagem qualificadas e suficientes. Segundo, que os visitantes possam conseguir com facilidade de sinalização e acessibilidade chegar aos pontos turísticos nas sedes e cidades vizinhas. Numa terceira vertente, faz parte do trabalho previsto na matriz de responsabilidade de Turismo qualificar profissionais que atuam em hotéis, restaurantes e na linha produtiva do setor. Por último, a participação na promoção nacional e internacional do Brasil como destino. Nessa entrevista que marca os 500 dias para a Copa, o ministro Gastão Vieira faz uma análise das ações da pasta.

 

Oferta de leitos

O balanço é positivo. Tínhamos feito um levantamento anterior e um dos pontos que poderiam nos preocupar eram os meios de hospedagem. Teremos ou não teremos uma oferta de leitos condizente com o número de turistas e o número de brasileiros que vamos aguardar para esses eventos? Já na Rio+20 fizemos um teste e tudo correu bem. Tivemos oferta suficiente. Com os investimentos que o governo colocou à disposição do setor hoteleiro, as construções que estão sendo feitas, os investimentos privados, isso deixou de ser uma preocupação.

Linhas de financiamento

Eu diria que foi decisivo para que começássemos a ver um processo mais forte e consistente de construção de novos hotéis, de melhoria dos existentes, de ampliação de outros. Estados como Minas Gerais já ultrapassaram 30 hotéis em construção. O Rio de Janeiro está atraindo grandes redes, que estão usando não só recursos do governo (Caixa Econômica, Banco do Brasil, BNDES), mas das próprias empresas.

Acessibilidade e investimentos

Desde junho de 2012, colocamos à disposição das sedes dos jogos da Copa do Mundo os recursos necessários para que façam sinalização, acessibilidade para pessoas portadoras de necessidades, divulgação turística e qualificação. Muitas das cidades estão demorando a assinar os contratos com a Caixa Econômica Federal. Estamos acelerando essa relação para ver se isso acontece com agilidade. Mas, no geral, o sentimento é de tranquilidade. Tudo vai estar pronto e teremos respondido à parte que cabe ao Ministério dentro da Matriz de Responsabilidades.

Importância da sinalização

Pesquisas recentes têm mostrado que uma das deficiências apontadas nas cidades brasileiras pelos turistas, principalmente os não residentes no país, é a falta de sinalização. Quando existe, é um pouco antiga, na maioria das vezes sequer é bilíngue. Ela orienta pouco. É uma das maiores demandas de quem vem nos visitar.

Foto: Danilo Borges/Frame de Vídeo/Portal da Copa#

Centros de Atendimento ao Turista

Eles são essenciais em lugares onde há concentração de turistas, como aeroportos, rodoviárias, locais dos eventos. São locais onde você possa oferecer informações básicas, sobre hotéis, restaurantes, mapas da cidade. Isso é uma função importantíssima. Fizemos um teste na Rio+20 e temos certeza de que esse não será um problema durante o período da Copa.

Promoção do país

Como queremos que o mundo nos veja? Que país é esse que vai sediar tantos eventos em tão pouco tempo? Como quer se apresentar ao mundo? Como as pessoas vão olhar o Brasil? Essa promoção externa está a cargo da Embratur, a promoção interna a cargo da secretaria de Comunicação da Presidência da República, mas as duas contam com participação efetiva do Ministério do Turismo, que inclusive pretende ainda no primeiro semestre, antes da Copa das Confederações, lançar uma primeira campanha sensibilizando o brasileiro para abraçar os visitantes no período desses eventos esportivos.

Qualificação profissional

Temos metas ousadas para qualificar a relação do turista com os serviços nos hotéis, restaurantes, com aqueles que estão atendendo. Estamos ofertando cursos de Inglês, Espanhol, cursos presenciais. Há cursos na própria empresa onde o empregado trabalha, muitas vezes juntando um conjunto de empregados dos mesmos setores, mas de empresas diferentes, num único local, e tem sido um sucesso. Estamos caminhando fortemente para atingirmos a meta de formar 240 mil pessoas até a Copa.

Aplicativos e serviços

A Embratur tem trabalhado nesses aplicativos voltados para o estrangeiro e o Ministério do Turismo com os aplicativos que serão colocados em aeroportos, rodoviárias, nos monumentos turísticos para brasileiros e estrangeiros que circularão no país por ocasião desses eventos.

Pós-Copa

A Copa tem muito a ver com o Ministério do Turismo quando o último jogo acabar. É a partir daí que temos de manter os hotéis que estão sendo construídos para a Copa com um nível de ocupação que faça com que o empresário consiga tirar o retorno do investimento que fez.  Precisamos espalhar por esse país, nessas arenas novas, outro tipo de atividade que as mantenha em funcionamento e gere receita: shows musicais, grandes atrações. Esse é um dos desafios do Ministério do Turismo: transformar o Brasil em um grande destino turístico. Hoje nós somos a sexta economia do país, pretendemos ser a terceira e nenhum país vai viver essa excelente oportunidade que o Brasil está vivendo de sediar tantos eventos tão diversos num período tão curto.

Papel de anfitriões

O nosso grande cliente é aquele que vai nos visitar. Ele sendo bem tratado, volta. Fala aos amigos, faz uma propaganda do país, aumenta o número de visitantes. Portanto, olhar o turista como o principal cliente do Ministério do Turismo é a mensagem que estamos passando para estados, municípios, para aquele pequeno município que vai receber os turistas no intervalo dos jogos. Abrace o turista, faça desse grande acontecimento esportivo uma oportunidade única para o Brasil.

Leia todas as matérias e entrevistas especiais:

» O Brasil a 500 dias para a Copa do Mundo

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Ministros da Secretaria de Direitos Humanos e do Turismo deram início à Operação Carnaval do Disque Direitos Humanos, que terá como foco as capitais que receberão os jogos do Mundial
+
Espanhóis, portugueses, franceses e suíços foram os que mais gastaram, em média, no ano passado. Europeus também são os que mais tempo permanecem no país
+
Dentre os projetos da pasta para a Copa está a sinalização turística, inclusive em cidades históricas, que terão R$ 19 milhões em investimentos
+
Pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo revela que 5,67 milhões de pessoas de outras nações visitaram o país no ano passado e que 95,7% pretende voltar
+