500 dias para a Copa: ministra da Casa Civil resume avanços do país

28/01/2013 - 00:27
"Estamos animados com a oportunidade que o Mundial representa para a movimentação do turismo, da economia, do comércio"

Para a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a Copa do Mundo é uma oportunidade para todo o Brasil, tanto para investimentos em infraestrutura, como para a divulgação do nosso país. “Nesse momento, a 500 dias da realização da Copa do Mundo, temos uma situação de grande estabilidade nos encaminhamentos da Copa”, afirmou. Em entrevista ao Portal da Copa, a ministra comenta o andamento dos preparativos e antecipa que, a partir de fevereiro, terá início uma série de reuniões com estados e municípios que receberão o Mundial para fazer o “checklist” dos serviços e atividades importantes na reta final da preparação. “Não só nas grandes obras, mas nos pequenos serviços. Desde o atendimento hospitalar que vai ser oferecido até o recolhimento de lixo nos estádios. Como isso vai se dar para que seja eficiente e para que a imagem do nosso país, desses estados e desses municípios, seja positiva”.

 

Aeroportos

Nós temos 30 obras em aeroportos brasileiros que são fundamentais para a movimentação das pessoas para assistir aos jogos da Copa do Mundo. Todas essas obras são monitoradas mensalmente. Temos uma equipe, junto ao Ministério do Esporte, que além de acompanhar in loco, com a Secretaria de Aviação Civil, faz as cobranças de outros intervenientes nos aeroportos para que estejam organizados: o pessoal da Receita, da Polícia Federal, da Anvisa. Além disso, fizemos a concessão de três grandes aeroportos brasileiros, dois que estão em cidades-sede da Copa, como Brasília e São Paulo. E agora teremos a concessão de outros dois, Confins, em Belo Horizonte, e Galeão, no Rio de Janeiro. Isso vai proporcionar que investimentos necessários sejam feitos com mais agilidade. Aliás, adequações, porque já estamos fazendo investimentos nesses aeroportos.

Portos, telecomunicações, energia

Os sete portos que vão receber, também, turistas da Copa do Mundo, estamos cuidando com muita atenção. O receptivo de pessoas, a parte do desembaraçamento de cargas, está sendo feita para que as coisas aconteçam ao seu tempo. A área de telecomunicações, de energia, os ministros têm dedicado grande tempo e têm sido objeto de força tarefa. E a segurança, que é sempre a grande preocupação de um país quando recebe um evento dessa magnitude, posso dizer que o Brasil está preparado e vai garantir segurança nos estádios, nas ruas à população brasileira e a quem vier aqui assistir aos jogos.

Rio+20

Tivemos uma experiência importante na Rio +20. Recebemos mais de 130 chefes de Estado e suas comitivas e conseguimos realizar e estruturar um serviço de segurança que garantiu, a todos que participaram do evento e também à população do Rio de Janeiro, uma segurança e uma articulação entre as polícias no âmbito federal, estadual e municipal. Então eu acredito que preparamos esse ambiente, estamos animados com a realização da Copa do Mundo, com a oportunidade que ela representa para a movimentação do turismo, da economia, do comércio, das atividades brasileiras. Então queria dizer a todos que estão querendo vir assistir aos jogos: venham, o Brasil vai estar de braços abertos e muito organizado para receber a todos.

Foto: Danilo Borges/Frame de vídeo/Portal da Copa#

Investimento além das 12 sedes

Nós temos muitas cidades que vão receber os times para treinos, para a preparação antes dos jogos. Essas cidades vão ganhar centros de treinamento, investimentos em mobilidade urbana, nos aeroportos e a economia que vai ser movimentada. As pessoas estão sendo recrutadas para trabalhar nessas obras, trabalhar nesses serviços.

Importância dos voluntários

Há uma porção de gente com vontade de fazer algo pelo Brasil também no voluntariado. São pessoas que vão trabalhar na Copa e vão aprender com isso e se preparar para outros eventos. Nós estamos agora com o foco na Copa das Confederações, que vai ser o nosso teste para a Copa do Mundo, que acontece agora, em junho de 2013. No programa Brasil Voluntário, do governo federal, temos mais de 20 mil inscritos.

Próximos desafios

O desafio agora é organizar todos os agentes envolvidos na preparação da Copa, seja no âmbito do governo federal, como também governadores e prefeitos que vão sediar jogos e receber equipes. Agora em fevereiro, iniciaremos uma série de reuniões, primeiro com os estados e municípios que receberão a Copa das Confederações, para fazer o check list de todos os serviços e atividades que são importantes para a realização do Mundial. Estamos pensando não só nas grandes obras, mas nos pequenos serviços. Desde o atendimento hospitalar que vai ser oferecido até o recolhimento de lixo nos estádios. Como isso vai se dar para que seja eficiente e para que a imagem do nosso país, desses estados e desses municípios, seja positiva. Queremos mostrar ao mundo, assim como fizemos na Rio +20, que temos condições de organizar um evento dessa magnitude.

Leia todas as matérias e entrevistas especiais:

» O Brasil a 500 dias para a Copa do Mundo

Portal da Copa

Notícias Relacionadas

Produções retratam a festa dos torcedores e a organização do megaevento esportivo
+
Produções retratam intervenções em aeroportos, portos, mobilidade urbana e estádios
+
Brasília e as cidades que não receberam jogos da Copa das Confederações serão palcos dos eventos com simulações de operações para a Copa
+
Imagens retratam a finalização dos últimos estádios para o torneio e as intervenções em mobilidade urbana, portos e aeroportos
+