O caminho da Rússia

Após se ausentar das últimas duas edições da Copa do Mundo, a Rússia apostou em um técnico de renome para dar um padrão de jogo à equipe. O italiano Fabio Capello tem um currículo extenso de títulos e conseguiu formar uma seleção forte na defesa e que aposta no erro do adversário para conquistar as vitórias. Para isso, conta com atletas experientes como Yuri Zhirkov e jovens talentos como o atacante Alexander Kokorin, ambos do Dínamo de Moscou (RUS). Roman Shirokov e Victor Faizulin aproveitam o entrosamento que têm no Zenit (RUS) para ditarem o ritmo no meio campo, enquanto a defesa encontra solidez no zagueiro Sergey Ignashevich e no goleiro Igor Akinfeev, ambos do CSKA (RUS).

Aliás, a Rússia é a única seleção dentre as 32 da Copa do Mundo, na qual todos os atletas atuam no próprio país. A baixa ficou por conta do ex-capitão Roman Shirokov, que sofreu uma lesão em amistoso preparatório para o Mundial. Em sua décima participação em Copas, os russos tentarão superar a melhor campanha da equipe na história, o quarto lugar em 1966.

Nas Eliminatórias europeias, a Rússia protagonizou uma acirrada disputa com Portugal pelo primeiro lugar do Grupo F. No fim, os russos mandaram os rivais para a repescagem. Com sete vitórias, um empate e duas derrotas, conseguiram ficar um ponto à frente dos portugueses. Como é o país-sede de 2018, a Rússia já tem vaga garantida para o próximo Mundial. Os principais títulos da equipe são a Eurocopa de 1960 e as Olimpíadas de 1956 e de 1988.

A estreia da Rússia está marcada para 17 de junho, na Arena Pantanal, em Cuiabá. O adversário é a seleção da Coreia do Sul. Depois, os russos viajam para o Rio de Janeiro, onde enfrentarão a Bélgica, no dia 22 de junho. O palco será o Maracanã. A Rússia encerrará a primeira fase no dia 26 de junho. A seleção europeia entrará no campo da Arena da Baixada, em Curitiba, para enfrentar a Argélia.

Portal da Copa