O caminho da Itália

País com mais títulos da Copa do Mundo depois do Brasil, a tetracampeã Itália não terá vida fácil em sua busca pelo penta. A equipe caiu no Grupo D, ao lado de outros dois campeões mundiais: Uruguai e Inglaterra, além da Costa Rica. Mesmo com esta história vitoriosa, a Azzurra parece ter mudado seu estilo tradicional de jogo em sua décima oitava participação em Copas. O futebol da seleção italiana está mais ofensivo depois que o técnico Cesare Prandelli assumiu a equipe. Na Copa das Confederações de 2013, o ataque terminou com média de dois gols por partida, desempenho semelhante ao obtido na campanha invicta das Eliminatórias.

A linha de frente tem como referência Mario Balotelli, do Milan (ITA), enquanto o meio-campista Andrea Pirlo, da Juventus (ITA), continua sendo o articulador das jogadas, com passes e lançamentos precisos, além de ser uma arma da equipe na bola parada. Outro veterano da Azzurra é o goleiro Gianluigi Buffon, companheiro de clube de Pirlo. O desfalque italiano para a disputa em 2014 será o atacante Montolivo, que se lesionou na preparação para a Copa e foi cortado.

A Itália não teve dificuldade para garantir a primeira colocação da sua chave nas Eliminatórias da Europa, apesar de ter caído em um grupo com seleções tradicionais como a República Tcheca, a Bulgária e a Dinamarca. No final, foram seis vitórias e quatro empates em dez jogos. Além dos títulos mundiais em 1930, 1934, 1982, 2006, os italianos conquistaram a Eurocopa em 1968 e as Olimpíadas em 1936.

A estreia na Copa do Mundo de 2014 será o clássico europeu diante dos ingleses, na Arena da Amazônia, no dia 14 de junho. Na sequência, os italianos encaram a Costa Rica, na Arena Pernambuco, no dia 20 de junho. O terceiro e último jogo na primeira fase será na Arena das Dunas, em Natal, diante do Uruguai, no dia 24 de junho. 

Portal da Copa