O caminho de Gana

Gana chega para a sua terceira participação em Copas do Mundo e de forma consecutiva, tentando repetir o feito da última edição. A equipe foi a melhor dentre as africanas em 2010, o único Mundial disputado no continente. Após um jogo histórico contra o Uruguai, os ganenses caíram nos pênaltis nas quartas de final. Quatro anos antes, as Estrelas Negras foi a única seleção da África a avançar para a segunda fase. Acabou eliminada pelo Brasil nas oitavas de final.

Nesta Copa, o técnico James Appiah conta com atletas reconhecidos no futebol internacional, mas que vem caindo de rendimento nos últimos anos. São os casos dos meio-campistas Michael Essien e Sulley Muntari, ambos do Milan (ITA), além dos atacantes Kevin Prince Boateng, do Shalke 04 (ALE), e Asamoah Gyan, do Al Ain (EAU). Mais jovem, o meia-atacante Andre Ayew, do Olympique de Marselha (FRA), é outro destaque.

Gana sobreviveu a um dos grupos mais difíceis das Eliminatórias, com cinco vitórias em seis partidas contra Zâmbia (campeã africana de 2012), Lesoto e Sudão. Na fase de mata-mata, novamente as Estrelas Negras não foram favorecidas pelo sorteio e tiveram que disputar a vaga contra o Egito, sete vezes campeão africano. Entretanto, uma goleada por 6 a 1 em casa, no jogo de ida, resolveu a questão e garantiu a vaga na Copa para a campeã africana em 1963, 1965, 1978 e 1982.

A equipe caiu no Grupo G, ao lado de Alemanha, Portugal e Estados Unidos. Para tentar sobreviver à primeira fase, Gana fará um tour entre o Nordeste e o Centro-Oeste brasileiros. A estreia será contra os Estados Unidos, na Arena das Dunas, em Natal, no dia 16 de junho. A seleção africana segue, então, para Fortaleza, onde enfrenta, no dia 21 de junho, a Alemanha, no Castelão. O terceiro e último jogo dos ganenses na primeira fase será no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. A partida marcada para o dia 26 de junho será contra Portugal.

Portal da Copa