O caminho da França

O desempenho da França nas últimas edições da Copa do Mundo tem alternado entre a glória e a frustração. Os Bleus foram campeões em 1998, eliminados na primeira fase em 2002, vice-campeões em 2006 e, novamente, caíram na fase de grupos em 2010. Se a tendência seguir, os franceses podem ficar otimistas. Mas, a poucos dias da estreia na Copa de 2014, o atacante Franck Ribèry, sofrendo de uma lombalgia, foi cortado da lista do técnico Didier Deschamps.

Sem o craque do Bayern de Munique (ALE), a França pode não ter alguém que desequilibre, mas conta com bons jogadores em todos os setores. Os atacantes Karim Benzema, do Real Madrid (ESP) e Antoine Griezmann, da Real Sociedad (ESP), os volantes Blaise Matuidi, do PSG (FRA), e Paul Pogba, da Juventus (ITA), e o zagueiro Raphael Varane, também do Real Madrid, dão consistência ao time.

A geração de Zinedine Zidane, que elevou o patamar do futebol do país com o título da Copa do Mundo em 1998, a conquista de duas Copa das Confederações (2001 e 2003), além da Eurocopa de 2000 (o outro título europeu foi em 1984, com a equipe liderada por Michel Platini), continua com pelo menos um representante na atual seleção francesa: o treinador Didier Deschamps.

Nas Eliminatórias, a França não teve vida fácil. Além de cair no grupo da Espanha, atual campeã mundial, os Bleus tiveram que enfrentar a sempre perigosa Ucrânia no confronto da repescagem, por ter ficado em segundo lugar no grupo. Para piorar, os franceses foram derrotados por 2 x 0 na partida de ida, em Kiev. Mas no jogo de volta, em Paris, uma vitória por 3 x 0 garantiu a França em sua décima quarta Copa, a quinta consecutiva.

A França foi sorteada no Grupo E do Mundial, ao lado de Suíça, Equador e Honduras. A estreia será contra Honduras, em Porto Alegre, no Beira-Rio, no dia 15 de junho. Depois, os franceses viajam até Salvador para enfrentar, no dia 20 de junho, a Suíça, na Fonte Nova. A França encerra a participação na primeira fase da Copa no dia 25 de junho, no Maracanã, diante do Equador. Nas oitavas de final, o cruzamento será contra um representante do Grupo F, de Argentina, Bósnia, Irã e Nigéria.

Portal da Copa