O caminho da Costa Rica

Com três participações em Mundiais, a Costa Rica não deu sorte no sorteio da Copa do Mundo de 2014. Caiu no Grupo D, ao lado de três campeões mundiais: Uruguai, Itália e Inglaterra. O técnico colombiano Jorge Pinto tem um esquema com três zagueiros e dois laterais que não avançam muito para tentar conter o ímpeto dos adversários.

O atacante Joel Campbell, do Olympiacos (GRE), é a arma para puxar os contra-ataques, enquanto Bryan Ruiz, do PSV (HOL), faz a ligação no meio campo. As baixas ficaram por conta de Álvaro Saborío, atacante do Real Salt Lake (EUA) que sofreu fratura no pé, e Bryan Oviedo, lateral do Everton (ING), que não se recuperou a tempo de uma fratura na tíbia.

Após a ausência em 2010, a Costa Rica volta à Copa do Mundo para tentar superar a campanha de 1990, quando caiu no grupo do Brasil, venceu Suécia e Escócia e acabou se classificando para as oitavas de final em segundo lugar, sendo então eliminada pela Tchecoslováquia. Em 2002, os costarriquenhos também caíram no grupo da Seleção Brasileira, mas não conseguiram avançar. Em 2006, ficaram em 31º lugar entre 32 equipes.

Nas Eliminatórias da América do Norte, Central e Caribe, a seleção terminou na segunda posição do haxagonal final e garantiu vaga direta para a Copa. Os principais títulos do país são as Copas da Concacaf de 1963, 1969 e 1989.

A estreia da Costa Rica na Copa do Mundo será no dia 14 de junho, contra o Uruguai, na Arena Castelão, em Fortaleza. O segundo compromisso dos costarriquenhos será contra a Itália, no dia 20 de junho, na Arena Pernambuco. Para encerrar a participação na primeira fase, a Costa Rica medirá forças com a Inglaterra. O palco do jogo será o Mineirão, em Belo Horizonte, no dia 24 de junho.

Portal da Copa