O caminho da Coreia do Sul

Uma das mais experientes seleções asiáticas em Copas do Mundo, a Coreia do Sul não fica fora de um Mundial desde 1986. Nesse período, a melhor classificação foi um surpreendente quarto lugar em 2002, no ano em que o país sediou o torneio ao lado dos japoneses. Com um futebol marcado por velocidade e aplicação tática, a equipe chega para a sua nona participação na história

A medalha de bronze nas Olimpíadas de Londres mostrou que a aposta na juventude era o caminho a ser percorrido pelo técnico Hong Myung-Bo, que participou como jogador da Copa de 2002. A seleção conta com volantes com boa saída de jogo, como Ki Sung-Yeung, do Sunderland (ING). Sensação do futebol do país, Son Heung-Min, do Bayer Leverkusen (ALE), pode jogar como meia e como atacante. A função de marcar gols fica com Kim Shin-Wook, do Ulsan Hyundai (COR) e Lee Keun-Ho, do Sangju Sangmu (COR).

Nas Eliminatórias, os sul-coreanos chegaram a ter a classificação seriamente ameaçada em duas ocasiões e por pouco não tiveram de disputar a repescagem contra um representante da Concacaf. O segundo lugar no Grupo A da fase final do classificatório, que garantiu a vaga na Copa, veio graças aos critérios de desempate, que colocaram a Coreia do Sul à frente do Uzbequistão. Os títulos do país são as Copas da Ásia de 1956 e de 1960.

A Coreia do Sul estreará diante da Rússia, no Maracanã. A bola rola em 17 de junho, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Na sequência, os sul-coreanos viajam até Porto Alegre, onde vão enfrentar a Argélia, no Beira-Rio, no dia 22 de junho. Para terminar a primeira fase, a Coreia do Sul encara a Bélgica, em São Paulo, no dia 26 de junho.

Portal da Copa