O caminho do Chile

O Chile chega ao seu nono Mundial com a difícil missão de superar Espanha e Holanda no Grupo B, que ainda conta com a Austrália. Para seguir em frente na competição, o técnico argentino Jorge Sampaoli aposta na criatividade e na força do ataque chileno. Nomes como os dos atacantes Alexis Sanchez, do Barcelona (ESP) e Eduardo Vargas, do Valencia (ESP), além dos meio-campistas Jorge Valdívia, do Palmeiras (BRA), Charles Aránguiz, do Internacional (BRA) e Jean Beausejour, do Wigan (ING), prometem dar trabalho aos adversários. Outra referência da equipe, o volante Arturo Vidal, da Juventus (ITA), está na lista de 23 atletas para a Copa, apesar de grave lesão sofrida recentemente. A baixa ficou por conta do meia Matías Fernandez, da Fiorentina (ITA), lesionado.

Ao contrário de gerações como a de Figueroa, na década de 70, e a de Salas e Zamorano até a primeira década de 2000, o Chile conta, desta vez, com uma equipe mais homogênea em todos os setores. Vários atletas, aliás, são conhecidos da torcida brasileira. Além de Valdívia e Aránguiz, o lateral Eugenio Mena, do Santos (BRA), atua no futebol verde e amarelo. O zagueiro Marcos González e o atacante Vargas tiveram passagens recentes por Flamengo (BRA) e Grêmio (BRA), respectivamente.

Na disputa por uma vaga na Copa, os chilenos se classificaram diretamente pelas Eliminatórias da América do Sul, terminando a disputa em terceiro lugar. A melhor colocação em Mundiais foi alcançada em 1962, quando a equipe jogou em casa e conquistou a terceira colocação, após perder a semifinal para o Brasil. Na Copa de 2010, na África do Sul, os chilenos foram eliminados pelos brasileiros nas oitavas de final, assim como aconteceu no Mundial da França, em 1998.

O Chile estreia contra a Austrália em 13 de junho. A partida será na Arena Pantanal, em Cuiabá. O segundo compromisso será no Maracanã, no dia 18 de junho, contra a Espanha. Fechando a fase inicial, o desafio é diante da Holanda, em São Paulo, no dia 23 de junho. Se passar de fase, o Chile terá pela frente o primeiro ou o segundo colocado do Grupo A, com Brasil, Croácia, México e Camarões. 

Portal da Copa