Foto: Schuterstock#A experiência do técnico Fábio Capello é um dos trunfos da Rússia

Últimos a entrar em campo

Quando os integrantes do Grupo H entrarem em campo pela primeira vez na Copa de 2014, no dia 17 de junho, todos os adversários dos outros grupos já terão jogado. A demora em estrear foi a única ressalva ao sorteio feita por Marc Wilmots, técnico da Bélgica, cabeça de chave do grupo.

“Poderíamos ter ficado em situação pior. Estou satisfeito com o grupo, com a localização dos jogos. Sobre o calendário de jogos, ficar no Grupo H só é ruim porque começaremos a jogar mais tarde”, disse Wilmots.

A Bélgica estreia contra a Argélia às 13h do dia 17, no Mineirão, em Belo Horizonte.  Na segunda rodada, o adversário será a Rússia, na partida marcada para 13h do dia 22 de junho, no Maracanã, no Rio de Janeiro. Encerrando a fase de grupos, os belgas jogam contra a Coreia do Sul em 26 de junho, às 17h, na Arena Corinthians, em São Paulo.

“Teremos três finais para jogar. Bélgica e Rússia talvez sejam as favoritas. Será uma boa briga, e não podemos esquecer que os russos contam com um treinador excelente, o Fabio Capello. O objetivo é passar da primeira fase”, comentou o técnico Wilmots.

O fato de destacar a Rússia não significa que a Bélgica dê menos importância aos demais adversários. “Argélia e Coreia do Sul são menos conhecidas, mas vamos olhar atentamente para o curso dessas seleções, e elas estão muito motivadas”, completou.

Troca de elogios

Se a Rússia foi elogiada por Wilmtos, a Bélgica também foi destacada pelo técnico Fábio Capello, outro que ficou satisfeito com o grupo H.

“A Bélgica foi uma boa surpresa nas Eliminatórias Europeias, com jogadores jovens e bons. No grupo, a equipe mais forte entre os adversários é a Bélgica. Estou feliz com as cidades onde vamos jogar. Temos que estar tranquilos na nossa base”, disse o italiano Capello.

A Rússia estreia contra a Coreia do Sul no dia 17, às 18h (horário local), na Arena Pantanal, em Cuiabá. Depois do confronto contra Bélgica no dia 22, no Rio de Janeiro, o desafio é a Argélia, às 17h do dia 26 de junho, na Arena da Baixada, em Curitiba.

“Me encanta jogar uma Copa no Brasil por tudo que a presidenta falou sobre o país do futebol. Não o país das regras do futebol, mas sim o país do futebol”, acrescentou Capello.

Coreia e Argélia

Coreia do Sul e Argélia se enfrentam no dia 22 de junho, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre. Para Vahid Halilodzic, técnico da Argélia, a equipe poderia ter ficado em um grupo mais difícil. Ele comentou cada um dos adversários da primeira fase. "A Bélgica é um país de tradição no futebol, e para mim pode inclusive ser uma das surpresas da competição. Não conheço bem a equipe da Rússia, que é comandada por um excelente treinador. A Coreia do Sul também pratica um futebol bastante técnico, faz passes e triangulações. Tentaremos surpreender. Não viremos a turismo, mas será difícil", disse.

O treinador coreano, Hong Myong Bo,  afirmou que é preciso ter cuidado para não subestimar nenhuma equipe, especialmente em um Mundial. "Só existem equipes fortes na Copa do Mundo. Portanto, será preciso prestar atenção não somente na Rússia, mas também na Bélgica e na Argélia", finalizou.

Veja também:

» O caminho de cada seleção na Copa do Mundo

» Quais jogos cada cidade-sede receberá

» “Aqui somos amigos, mas quando começam os jogos, começam as batalhas”, diz Fabio Capello